Grande influência do cerrado

No Centro-Oeste brasileiro há duas sedes da Copa do Mundo da FIFA 2014: Brasília (DF) e Cuiabá (MT). Constituída pelos biomas Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal, a região também reúne os estados de Goiás (GO) e Mato Grosso do Sul (MS). O Cerrado é o único bioma predominante em todos os estados. A culinária da região é fortemente influenciada pela pecuária, uma das principais atividades econômicas do território, que divide com as carnes bovina, caprina e suína a preferência da população.

Diversidade exótica

Na tradicional culinária mato-grossense, é muito comum encontrar pratos que misturam carnes (das tradicionais às exóticas) a temperos típicos do cerrado. Graças à influência pantaneira, o peixe é o produto mais consumido na região. Entre os pratos que levam peixe no cardápio, destaques para o tradicional Mojica, ensopado preparado com filé de Pintado; Ventrecha, costela de Pacu frito, e filé de Piraputanga frito. Os acompanhamentos mais comuns são arroz, farofa de banana e pirão. O caldo de piranha também é prato obrigatório na mesa do mato-grossense.

As carnes bovinas e suínas dividem espaço na mesa do mato-grossense com uma diversidade de carnes exóticas. Antes consumidas somente no meio rural, as carnes como a de javali, jacaré e capivara, podem hoje ser encontradas nas principais cidades do estado.  Das carnes tradicionais, as receitas mais famosas de Mato Grosso são a costela atolada, guisado à moda cuiabana, carne seca com banana, picadinho com quiabo, vaca atolada, entre tantas outras.

Os temperos utilizados para o preparo desses pratos típicos são encontrados no próprio estado. Pequi, mandioca, milho, erva-mate e pimenta são muito aproveitados para enriquecer a vasta gastronomia mato-grossense. Há ainda uma diversidade de conservas, sobremesas variadas e, claro, licores e cachaças.

Pequi é o carro-chefe

Composto em sua grande maioria (97%) por Cerrado, restando 3% de Mata Atlântica, o estado do Goiás possui um clima tropical semiúmido. Isso contribui para uma riqueza culinária que tornou o estado referência em todo o mundo. A galinhada é o prato mais conhecido do estado, feito com arroz, galinha e pequi – que também pode ser substituído pela guariroba, espécie de palmito típico da região. Entre os ingredientes, o pequi é o mais famoso da culinária goiana. Tão conhecido quanto controverso, com ele não existe meio termo. De sabor forte e muito peculiar, o pequi é utilizado na elaboração de pratos salgados, doces, geleias, sorvetes, licores e até de azeites.

Outros destaques
Empadão goiano: torta que leva em sua receita carne de porco, linguiça, frango, guariroba e queijo. 
Feijão-tropeiro: com torresmo, linguiça, couve e farinha de mandioca.
Arroz Maria Isabel: leva carnes e temperos da região.
Peixe na telha: pode ser feito com Pintado ou Surubim, bastantes pimentões, cebolas, alho e pimenta de bode.
A Castanha de Baru e o Cajuzinho do Cerrado: assim como o Pequi, são utilizados na fabricação de sorvetes, picolés e doces.
Existem vários tipos de aguardentes goianos, com sabores e teores alcoólicos diversificados.

Distrito Federal e Mato Grosso do Sul

Localizado ao leste de Goiás, o Distrito Federal abriga a capital do País, Brasília. Sua população é constituída por habitantes que vieram de vários estados. Graças a essa diversidade, a gastronomia da capital brasileira absorveu referências variadas. Em Brasília você pode ir a um restaurante mineiro, goiano, gaúcho, nordestino sem sair da cidade. Seu bioma predominante é o Cerrado (100%), o que contribui para uma maior aproximação com a gastronomia goiana. Mas a culinária internacional também pode ser encontrada com fartura na cidade. Há uma infinidade de restaurantes alemães, italianos, franceses, portugueses e argentinos.

O Mato Grosso do Sul é composto por três biomas: Cerrado (61%), Mata Atlântica (14%) e Pantanal (25%). As principais cidades são a capital, Campo Grande, Bonito, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã e Aquidauna. O clima predominante no estado é tropical, com variações entre quente e semiúmido. A cozinha sul mato-grossense é elaborada a partir de ingredientes encontrados em todo o estado.  Mas a rica gastronomia local absorveu ainda pratos da Argentina, do Paraguai e da Bolívia.

Principais destaques do MS
Sopa Paraguaia: leva pedaços grande de cebola, queijo ralado e fubá de milho
Suco e caldo de piranha
Forrundu: doce de mamão e rapadura
Puchero: espécie de cozido herdado da Argentina feito com vários cortes de carne
Locro: também da Argentina, é feito com milho e feijão brancos, carne suína e temperos variados
Pacu: peixe típico do Pantanal, pode ser encontrado frito, assado ou ensopado
Caribéu: abóbora com carne seca
Tererê: o “chimarrão sul mato-grossense” é a bebida mais popular do estado. Feito com erva-mate, pode ser consumido frio ou quente.

Fonte: Ministério do Turismo