87% do primeiro lote de moedas comemorativas da Copa do Mundo foi vendido

28/02/2014 - 17:38
Do total de 41 mil unidades colocadas à venda, 35.670 foram comercializadas. Novo lote deverá ser disponibilizado em março

O primeiro lote de moedas comemorativas da Copa do Mundo que foram colocadas à venda pelo Banco Central no dia 29 de janeiro está quase esgotado. Das 41 mil unidades disponibilizadas, 35.670 foram adquiridas, até o momento, pelos colecionadores. O número representa 87% do total e alguns modelos, como a de ouro, já não são mais encontrados. A receita bruta do Banco Central chegou a R$ 3,4 milhões.

A previsão do Banco Central é a de que o segundo lote de moedas comece a ser comercializado no mês de março. A Casa da Moeda do Brasil produzirá o restante da tiragem, que foi limitada em 165 mil unidades. O segundo lote, portanto, terá 124 mil unidades.

A série é composta por nove modelos, sendo seis de cuproníquel, com o valor de R$ 30 cada, duas de prata, ao preço de R$ 190 a unidade, e uma de ouro, cujo preço é de R$ 1.190.

» Veja detalhes de todas as moedas

Os interessados podem adquirir os produtos em uma das dez representações regionais do BC. Nestes locais, o pagamento só poderá ser feito em dinheiro. Os modelos também podem ser comprados pelo site do Banco do Brasil, com pagamento via boleto bancário ou, se o comprador for correntista do banco, por meio de débito em conta.

O Banco Central pretende arrecadar cerca de R$ 20 milhões com a venda total das moedas. Serão cinco mil de ouro, 20 mil de cada modelo de prata e outros 20 mil para cada modelo de cuproníquel.

A moeda de ouro fará alusão à taça da Copa do Mundo e ao momento do gol. Uma das moedas de prata apresentará a mascote oficial da Copa, o tatu-bola Fuleco, enquanto a outra trará uma homenagem às doze cidades-sede da competição.

O Banco Central pagará à FIFA 10% de royalties por unidade vendida. A entidade máxima do futebol é responsável pela comercialização no exterior.

Gabriel Fialho - Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Visitantes gastaram US$ 6,9 bilhões no país. O resultado teve forte influência da Copa do Mundo
+
Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+