A um mês da abertura da Copa, veja os detalhes das 12 arenas que receberão as partidas do torneio

13/05/2014 - 11:10
Projetos apresentam diversas novidades que aumentam o padrão de segurança e conforto para torcedores, delegações e imprensa. As medidas de sustentabilidade adotadas nas construções servirão como referência para os próximos mundiais

A um mês da abertura da Copa do Mundo, a bola já rolou nos 12 estádios que receberão os 64 jogos do torneio. Metade deles foi inaugurada entre 2012 e 2013 para receber a Copa das Confederações e os outros seis palcos já foram testados neste ano. Os projetos apresentam diversas novidades que aumentam o padrão de segurança e conforto para torcedores, delegações e imprensa. As medidas de sustentabilidade adotadas nas construções e operações das arenas servirão como referência, inclusive, para os próximos mundiais da FIFA.

Projetos arquitetônicos inovadores, que aumentam a iluminação e a ventilação internas, coberturas autolimpantes, que captam água da chuva, assentos rebatíveis e com encosto, campos de jogo com dimensões padronizadas (105 metros por 68 metros), iluminação homogênea e própria para transmissões Full HD, acessibilidade, câmeras que permitem reconhecimento facial e centros de comando para operar todos os sistemas das arenas são algumas das ações que prometem elevar o nível dos espetáculos no Brasil.

O Portal da Copa acompanhou a evolução de todos os estádios: dois deles projetos completamente novos; cinco reformas e outros cinco ocuparam o lugar de palcos demolidos. Os detalhes das arenas foram divulgados através de uma série de matérias especiais com vídeos, fotos e infográficos na inauguração de cada uma delas.

Confira a trajetória das entregas (clique nos nomes das arenas para ver a cobertura completa das inaugurações):

» Castelão (Fortaleza)

Primeiro estádio a ficar pronto para a Copa do Mundo, o palco cearense foi entregue em dezembro de 2012. Com capacidade para 63.903 torcedores, dois pontos chamam atenção no projeto: a fachada com uma “pele” de vidro e a esplanada com 55 mil metros quadrados. O Castelão recebeu a certificação ambiental LEED pelo cumprimento de diversos parâmetros de sustentabilidade. As instalações contam com 85 banheiros, 52 camarotes, 44 quiosques de alimentação e 240 câmeras de vigilância. A grama é da espécie Bermuda Celebration.

» Mineirão (Belo Horizonte)

A “casa” do futebol mineiro reabriu as portas em dezembro de 2012. Tombada pelo patrimônio histórico de Belo Horizonte, a fachada não sofreu alterações em relação ao projeto anterior. Uma esplanada com 80 mil metros quadrados foi construída ao redor do estádio, que também tem uma usina de energia solar. A nova arena tem 62.160 assentos e um campo com a grama da espécie Bermuda Celebration. São 54 banheiros, 98 camarotes, 58 quiosques de alimentação e 364 câmeras de segurança para garantir o conforto dos torcedores.

» Fonte Nova (Salvador)

O antigo estádio foi totalmente demolido, mas o projeto original foi mantido na construção da nova arena, entregue em abril de 2013. A chamada “abertura da ferradura”, que mede 42 metros de altura e conta com um vão aberto voltado para o Dique do Tororó, foi mantida. Uma arquibancada móvel será usada durante a Copa, o que elevará a capacidade da Fonte Nova para 55 mil pessoas. São 70 camarotes, 94 banheiros, 40 quiosques de alimentação e 227 câmeras de vigilância no palco baiano, que recebeu o selo LEED. A grama é a Bermuda Celebration.

» Arena Pernambuco (Recife)

O estádio, que foi erguido do “zero”, está inserido em um projeto mais amplo de uma nova centralidade urbana: a cidade da Copa, que pretende incorporar moradias, escritórios, instituições educacionais e espaços de lazer. A Arena Pernambuco foi concluída em abril de 2013. Com capacidade para 46 mil torcedores, o local conta com um gramado da espécie Bermuda Tifway, 116 banheiros, nove elevadores, 13 escadas rolantes, 42 quiosques de alimentação, 102 camarotes e 4,7 mil vagas de estacionamento.

» Maracanã (Rio de Janeiro)

O maior "templo" do futebol reabriu as portas em abril de 2013, após dois anos e oito meses de reformas. Da estrutura antiga ficou apenas a fachada, tombada pelo Iphan. São 78.838 assentos, com diferentes tonalidades de azul, amarelo e branco, que deram um novo colorido ao Maracanã. Os torcedores têm 292 banheiros, 110 camarotes, 60 bares, quatro telões com 98 metros quadrados, 78 alto-falantes, 17 elevadores e 12 escadas rolantes à disposição. A grama é da espécie Bermuda Celebration. O estádio tem todas as áreas monitoradas por 360 câmeras.

» Estádio Nacional Mané Garrincha (Brasília)

Mais um monumento passou a compor a paisagem da capital do país em maio de 2013. O novo Mané Garrincha, um gigante de mais de 46 metros de altura, ocupou o espaço do antigo estádio que foi totalmente demolido. A estrutura conta com 74 camarotes, 276 sanitários, 40 bares, dois restaurantes, 14 lanchonetes, 465 refletores, seis cabines de TV e 20 elevadores. O campo foi plantado com a grama da espécie Bermuda Celebration e fica a 7,5 metros da arquibancada. São 72.788 lugares na arena, projetada para receber diversos tipos de eventos.

» Arena das Dunas (Natal)

O estádio potiguar que ocupa o local do antigo “Machadão” foi entregue em janeiro de 2014, com 42 mil lugares, sendo 10,6 mil assentos removíveis. A fachada e a cobertura são integradas e compostas por 20 “pétalas”, projetadas para serem mais altas em um dos lados do estádio, dando a forma e a ideia do movimento das dunas de areia, comuns na região. São quatro lounges com capacidade entre 250 e mil lugares, 25 quiosques de alimentação, 30 banheiros, 200 câmeras de vigilância e 306 refletores. A grama é a Bermuda Tifton 419.

» Beira-Rio (Porto Alegre)

Com uma cobertura composta por 65 módulos em formato de folhas e a fachada remodelada nas cores do Internacional, o Beira-Rio recebeu o primeiro jogo em fevereiro de 2014. Ao todo, são 81 banheiros, 404 refletores, 130 catracas, 125 camarotes, 22 bares e lanchonetes, 19 elevadores e 44 lojas no local. São 50 mil lugares. O campo foi plantado com a grama da espécie Bermuda Tifgrand, que possui maior resistência às baixas temperaturas e ao pisoteio. O projeto ainda inclui um shopping ao redor do estádio, com uma área de 2.680 metros quadrados.

» Arena da Amazônia (Manaus)

A bola rolou pela primeira vez no local em março de 2014. Os projetistas do estádio desenharam a Arena da Amazônia inspirados em um cesto de palha indígena carregado de frutas típicas do Brasil. São 44,5 mil assentos, em variados tons de amarelo, laranja e vermelho, que remetem à tradição e à natureza brasileiras. O palco de Manaus para a Copa tem 61 camarotes, 98 banheiros, 17 quiosques de alimentação, 85 câmeras de vigilância, 420 refletores e 24 alto-falantes. O campo foi plantado com a grama da espécie Bermuda Tifway.

» Arena Pantanal (Cuiabá)

Único estádio da Copa do Mundo a não ter os quatro cantos fechados, com pelo menos um anel de arquibancada contínuo, a Arena Pantanal se diferencia pelo projeto arquitetônico e pelas ações de sustentabilidade. A capacidade é para 44 mil torcedores, sendo 41.390 lugares durante o Mundial. A bola rolou pela primeira vez no palco cuiabano em abril de 2014. São 66 banheiros, 97 camarotes, 35 quiosques de alimentação, 330 câmeras de segurança e 340 refletores na arena. O campo foi plantado com a grama da espécie Bermuda Tifgrand.

» Arena Corinthians (São Paulo)

Com um evento que reuniu ídolos do clube paulista, a arena foi oficialmente inaugurada neste mês. Após quase três anos de obras, o que se vê é uma construção que saiu do “zero” e, agora, tem 189 mil metros quadrados, com duas imponentes fachadas nos lados leste e oeste, uma delas com um imenso painel de LED, e dois vãos livres de 170 metros de altura nos setores norte e sul. São 68 mil lugares, sendo 20 mil removíveis. A estrutura conta com 350 refletores, 89 camarotes, 63 quiosques de alimentação e 53 banheiros. O campo foi plantado com a grama Ryegrass.

» Arena da Baixada (Curitiba)

O estádio paranaense foi idealizado para ser uma “caixa iluminante” com a possibilidade de observação das atividades internas por quem está do lado de fora da arena, graças à semitransparência da fachada. Com capacidade para 43 mil torcedores, o local conta com 884 vagas cobertas de estacionamento, 308 refletores, 155 banheiros, 35 camarotes, 52 quiosques de alimentação e 190 câmeras de vigilância. O campo foi plantado com a grama Bermuda Tifgrand, que será reforçado, em épocas de frio, com sementes da espécie Ryegrass.

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+