Aeroporto Internacional JK recebe licença ambiental para ampliação

03/08/2011 - 21:42
As reformas vão incrementar em 47% a área física do terminal. O espaço terá 179 balcões de check in. O pátio de aeronaves passará de 181 mil m² para 403 mil m².

 

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) recebeu licença ambiental para as obras de ampliação do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, que devem começar em fevereiro de 2012. As reformas vão incrementar em 47% a área física do terminal de passageiros. A capacidade anual do aeroporto, que hoje é de 14 milhões de pessoas, passará para 26,5 milhões em 2014. O espaço terá, ainda, 179 balcões de check in. O pátio de aeronaves  vai passar por uma expansão de 181 mil m² para 403 mil m².

A autorização para as obras prevê uma contrapartida ambiental para reverter os impactos gerados pela ampliação. As compensações devem chegar a R$ 16 milhões, segundo o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal, e serão aplicados em programas de melhoria e implantação de instalações nos 68 parques locais, na recuperação de áreas de conservação e em projetos de educação ambiental, inclusive voltados para os turistas que vierem à capital durante a Copa do Mundo.

O visitante que for ao aeroporto de Brasília vai perceber que algumas obras já foram iniciadas e outras, concluídas. A revitalização do Terminal 2 de passageiros, a implantação de sanitários nos saguões de embarque e desembarque, além de fraldário, banheiros acessíveis, nova sala de inspeção para passageiros em conexão doméstica, construção de rampas de acesso e melhorias na circulação estão mudando a cara do local. Os investimentos da Infraero, nessa etapa, são de R$ 4,9 milhões.

Agilidade

Outra novidade é o Reconhecimento Automático de Passageiros Identificados Documentalmente (Rapid), projeto piloto que conta com dois portões eletrônicos de controle migratório, um no desembarque e outro no desembarque internacional. O sistema tem como objetivo agilizar e tornar mais segura a circulação de viajantes por meio de equipamentos que verificam a autenticidade do documento de viagem, capturam dados do passageiro para realização de pesquisa em bancos de dados, entre outras ações. A perspectiva é adotar essa e outras tecnologias de controle migratório nos aeroportos das cidades-sede da Copa de 2014.

No total, a Infraero vai investir R$ 742,37 milhões na reforma e modernização do aeroporto de Brasília.

Ascom - Ministério do Esporte

Notícias Relacionadas

Planejamento minucioso que foi feito para o Mundial deve servir de base para a gestão e operação dos aeroportos brasileiros, na opinião do ministro da Aviação Civil, Moreira Franco
+
Argentina, Chile e Uruguai são os países da região que enviaram mais visitantes ao país por avião
+
Foram registradas 5.185 demandas nos aeroportos e 75 nos estádios das 12 cidades-sede
+
Mais da metade dos viajantes do país (54,2%) optou por deslocamento aéreo durante a Copa
+