"Ainda bem que Messi é argentino", diz o treinador Alejandro Sabella

21/06/2014 - 17:11
Técnico da seleção portenha admitiu dificuldades contra o Irã, elogiou adversários e festejou o gol de seu camisa 10, que aos 46 minutos do segundo tempo carimbou a vaga argentina nas oitavas de final

Após a vitória da Argentina sobre o Irã, no Mineirão, em Belo Horizonte, os técnicos das equipes concordaram em alguns aspectos do jogo e discordaram totalmente em um ponto específico. Tanto o português Carlos Queiroz, que comanda os iranianos, quanto o argentino Alejandro Sabella fizeram questão de elogiar muito a equipe do Irã e a genialidade de Messi, mas os dois divergiram em relação ao lance mais polêmico da partida, que para Queiroz foi pênalti e para Sabella, não.

“Estou muito feliz com minha equipe e os jogadores, mas fico frustrado porque não aceito que um árbitro a cinco metros do lance não dê um pênalti que deveria ter dado”, desabafou Queiroz em entrevista coletiva após o jogo. Para ele, o árbitro sérvio Milorad Mazic errou ao não anotar a penalidade máxima quando Zabaleta e Dejagah disputaram uma bola dentro da área. Sabella foi sucinto: “Para mim, não houve pênalti. Zabaleta tocou a bola”.

Sabella reconheceu que Messi tirou a Argentina do sufoco. “Acho que a última jogada do Messi ninguém poderia ter interrompido. Todos os jogadores contribuíram para a vitória, mas ainda vem que temos Messi. Ainda bem que ele é argentino”, disse.

Mesmo contrariado, Carlos Queiroz destacou o esforço de sua equipe. “No fim das contas, foi um jogo de duas grandes equipes, em níveis diferentes, uns usando a genialidade para jogar futebol e outros usando trabalhadores qualificados. O Messi foi fantástico. A Argentina é uma excelente equipe, que tem todo meu respeito e admiração, mas acredito que nós honramos o jogo e a Argentina”, disse o treinador do Irã.

O técnico também tratou de agradecer os torcedores que apoiaram o Irã. A união de brasileiros e iranianos no estádio conseguiu fazer frente ao fanatismo da torcida argentina em alguns momentos da partida, principalmente no segundo tempo, quando os iranianos tiveram chances de gol. “Queria em nome do Irã agradecer a todos que nos apoiaram durante o jogo. Queria agradecer a Belo Horizonte  e aos iranianos que também estavam presentes. Foi uma motivação extra”, disse.

Getty Images#Técnico argentino Alejandro Sabella confere o relógio: gol salvador saiu aos 46 minutos do segundo tempo

Dificuldades
O treinador da Argentina admitiu que sua equipe teve dificuldades para criar oportunidades e atribuiu a dificuldade do jogo à dedicação dos iranianos. “Foi uma partida muito difícil. Eu acho que o Irã jogou muito bem. Eles conseguiram aproveitar os nossos erros e também tiveram muitas oportunidades para marcar”, analisou Sabella.

Mesmo com a classificação garantida para as oitavas de final da Copa do Mundo, o treinador admitiu que o time argentino precisa melhorar em alguns aspectos. “Nos preocupamos com certas coisas. Vamos tentar chegar a um equilíbrio, o que não é fácil. Foi difícil criar espaços, mas eu gostaria de parabenizar a minha equipe. Os jogadores fizeram um esforço enorme, em um horário bastante quente”, disse.

Mateus Baeta, Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Brasil e Argentina se enfrentarão no Estádio Ninho do Pássaro, na capital chinesa
+
Polícia Rodoviária Federal decidiu reforçar a vigilância em rodovias de acesso ao estado do Rio Grande do Sul usadas por torcedores do país
+
Centro Integrado de Comando e Controle regional realizou 1,1 monitoramentos diários e acompanhou 300 atividades essenciais durante os 31 dias do Mundial na capital mineira
+
Estimativa é que o volume recolhido aumente a renda de catadores em cerca de 100%. Legado de inclusão social e conscientização ambiental também é destacado
+