"Arenas verdes" do Brasil serão modelo para as próximas Copas

19/06/2012 - 19:07
Iniciativa do país de exigir certificação ambiental nas construções dos estádios fará parte das exigências da FIFA para Rússia e Catar

As 12 arenas da Copa do Mundo da FIFA 2014 terão certificação ambiental e esse modelo, voluntariamente adotado pelo Brasil, será adotado pela entidade internacional do futebol como critério para a construção dos estádios dos Mundiais de 2018 e 2022, na Rússia e no Catar.

As informações foram reforçadas na tarde desta terça-feira (19.06), durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. No evento, FIFA e Comitê Organizador Local (COL) detalharam sua estratégia para a realização do megaevento esportivo de forma sustentável. O secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, foi um dos convidados.

» Rio+20 é teste para o Galeão se preparar para Grandes eventos esportivos
» Estratégia de sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA 2014 é apresentada na Rio+20
» Vídeo mostra ações de sustentabilidade nas obras do Mineirão, em Belo Horizonte
»Ações sustentáveis nas arenas da Copa são detalhadas no Rio de Janeiro
»Arquitetos apresentam características sustentáveis do Estádio Nacional de Brasília
 

Foto: Getty Images#Luis Fernandes, Bebeto e Federico Addiechi durante o evento no Rio de Janeiro

Fernandes explicou que uma das exigências do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para conceder o financiamento de até R$ 400 milhões por arena foi que elas buscassem certificação ambiental. Aproveitamento da água para abastecer reservatórios e irrigar gramados, reutilização do entulho de demolição em outros empreendimentos, maior eficiência energética. São muitas as ações adotadas nas 12 cidades-sede.

"Foi uma inovação muito importante. A dimensão da sustentabilidade foi incorporada explicitamente como condição para concessão dos empréstimos pelo BNDES. Isso nem era uma exigência para o processo de organização da Copa no Brasil. Foi uma iniciativa tomada pelo governo brasileiro e pela direção do BNDES, o que nos permitiu incorporar dimensões muito mais amplas de sustentabilidade no projeto e na execução das obras dos estádios", afirmou Luis Fernandes.

Confira vídeo produzido pela equipe da EBC com trecho do painel:

"A Copa do Mundo da FIFA 2014 será lembrada não só como um fantástico torneio de futebol, mas pelo seu legado ambiental e social duradouro. Isso exige a participação de todas as partes envolvidas, desde o torcedor até as construtoras. Como país-sede e líder global no desenvolvimento sustentável, o Brasil e seu governo estão sendo importantes para a FIFA e para o COL na modelagem dessa estratégia de sustentabilidade", disse o diretor de responsabilidade social corporativa da FIFA, Federico Addiechi.

Na Rússia e no Catar, sedes da Copa do Mundo da FIFA em 2018 e 2022, os compromissos sociais e ambientais já foram elementos compulsórios do processo de candidatura. Ainda como resultado das iniciativas voluntárias nos estádios do Mundial brasileiro, a certificação ambiental será obrigatória na construção de todas as arenas das próximos duas Copas do Mundo.

O ex-jogador Bebeto, integrante do Conselho de Administração do COL, afirmou que a certificação das arenas foi um "gol de voleio". "As Copas da Rússia e do Catar seguirão o exemplo", disse.

Segundo Luis Fernandes, todas as arenas terão certificação até a Copa. "Temos plena garantia, confiança e convicção de que todos os estádios receberão certificação internacional. E mais, eu não vou numerar, mas vários têm um desempenho bastante superior ao que é exigido para conseguir a certificação".

» Visite o site da FIFA para ler o documento completo

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+