Argentinos se conformam com a derrota na embaixada do país em Brasília

13/07/2014 - 20:57
A atuação de Messi na final da Copa do Mundo não agradou os torcedores, mas craque foi aplaudido quando apareceu no telão após a derrota para a Alemanha

Foto: Renato Freire/ Portal da Copa#

O apito final do árbitro italiano Nicola Rizzoli não provocou reações imediatas na Embaixada da República Argentina, em Brasília, neste domingo (13.07). Quando o juiz encerrou a Copa do Mundo de 2014, os 200 argentinos presentes à instituição permaneceram em silêncio, olhando para o telão. O primeiro a reagir foi o analista de sistemas Eduardo Alberto, que passou a sacudir uma bandeira azul e branca e a gritar o nome do país. Os compatriotas responderam ao gesto e aplaudiram a seleção, derrotada pela Alemanha (1 x 0) na decisão do Mundial.
 
Embora tenham reconhecido a boa atuação da Argentina na final, os torcedores lamentavam os gols perdidos pelos jogadores Higuain, Messi e Palacio. Alguns criticaram o camisa 10, considerado o craque da Copa pela FIFA. “A Argentina fez um bom jogo, mas faltou o Messi jogar”, lamentou Cristian Díaz, que vive em Santa Fé e está no Brasil de férias, acompanhado da mulher e dos dois filhos. A atuação apagada não impediu que o craque fosse aplaudido após a partida, quando apareceu no telão da embaixada, ainda no gramado junto com os outros jogadores.
 
O comportamento da torcida foi mais tímido em relação ao duelo contra a Holanda, pelas semifinais, quando havia metade do público (cerca de 100 pessoas). Os cantos de incentivo foram raros, principalmente no segundo tempo e na prorrogação, consequência da tensão da final. “Acho que estou mais nervoso agora do que na final da Copa de 1986”, afirmava Esteban Iraola, 45 anos, no intervalo da partida. O motivo da preocupação era o mesmo de outros compatriotas. “O Messi é muito bom, mas não é o Maradona”, completou o analista de sistema.
 
Além da bronca com astro da seleção, os argentinos demonstraram seu gosto por duas instituições brasileiras na tarde deste domingo: vaiaram Pelé, quando o ex-camisa 10 da Seleção Brasileira apareceu na tribuna de honra do Maracanã mandando beijos para o público, e aplaudiram a imagem do Cristo Redentor ao pôr do sol. Os torcedores se mostraram indiferentes ao ex-craque Daniel Passarela. A imagem do capitão da Argentina campeã de 1978 apareceu várias vezes no telão, sem provocar reação nos presentes.

Renato Freire, do Portal da Copa em Brasília

Notícias Relacionadas

No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Brasil e Argentina se enfrentarão no Estádio Ninho do Pássaro, na capital chinesa
+
Polícia Rodoviária Federal decidiu reforçar a vigilância em rodovias de acesso ao estado do Rio Grande do Sul usadas por torcedores do país
+