Balanço: Belo Horizonte contabiliza receita direta de R$ 451 milhões com turistas durante a Copa

15/07/2014 - 15:33
Durante o Mundial, a capital mineira recebeu 355 mil visitantes,que gastaram em média R$ 1,2 mil. A estimativa de retorno financeiro indireto é de R$ 1,6 bilhão

Durante o período da Copa do Mundo, um total de 355 mil turistas estiveram em Belo Horizonte. O gasto médio desse visitante foi superior a R$ 1,2 mil, um valor 35% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. O montante gerou uma receita direta superior a R$ 451 milhões. Se for considerada a receita indireta, a estimativa chega a R$ 1,6 bilhão, nos setores de comércio e serviços de Belo Horizonte.

A taxa de permanência na cidade foi de 6,7 dias, tempo 37% maior que em 2013. Além de Belo Horizonte, 32% dos turistas visitaram outros municípios de Minas Gerais, como Ouro Preto, Mariana, Tiradentes e Brumadinho.

O balanço positivo da Copa na capital mineira foi apresentado na manhã desta terça-feira (15.07) pelo secretário municipal Extraordinário para a Copa, Camillo Fraga, e pelo secretário estadual Extraordinário para a Copa, Tiago Lacerda. “Foi uma grande oportunidade que os mineiros e os belohorizontinos tiveram de participar de um evento tão bonito e tão grandioso. Foi muito positivo todo esse intercâmbio cultural, pessoas de vários países passando aqui na cidade e a festa em que a cidade se transformou. Tudo isso é muito importante, principalmente para a autoestima das pessoas, que tiveram essa oportunidade”, comemorou Lacerda.

Danilo Borges/Portal da Copa#Mineirão recebeu seis partidas da Copa do Mundo, entre elas duas da Seleção Brasileira, nas oitavas de final e nas semifinais

Belo Horizonte recebeu seis jogos da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014, quatro válidos pela primeira fase, um das oitavas de final e uma semifinal. A Seleção Brasileira jogou na capital mineira duas vezes. Nas oitavas de final, enfrentou o Chile e se classificou nos pênaltis. Na semifinal, foi surpreendida pela Alemanha e perdeu por 7 x 1.

Colômbia, Grécia, Bélgica, Argélia, Irã, Argentina, Costa Rica e Inglaterra também jogaram no gramado do Mineirão. Além disso, as seleções de Argentina e Chile usaram Centros de Treinamento de Belo Horizonte como base de preparação e o Uruguai escolheu a cidade de Sete Lagoas.

Hospedagem

Os albergues tiveram o maior aumento na parcela de hospedagem. Ano passado, apenas 1,3% de todos os turistas da cidade ficavam em albergues. No período da Copa, esse número passou para 20%. Outros 19% se hospedaram em casa de amigos e parentes e 46% ficaram em hotéis e pousadas. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) divulgou números que mostram uma taxa média de ocupação, entre 14 de junho e 8 de julho, de 75%, tendo alcançado 95% na véspera da seminal entre Brasil e Alemanha, no Mineirão.

Fotos: Danilo Borges/Portal da Copa#Região da Savassi virou ponto de encontro dos torcedores em BH. Atrações culturais e opções de transporte foram elogiadas pelos visitantes

Savassi

Duzentas mil pessoas estiveram nos eventos da região da Savassi. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), houve bares e restaurantes da região que registraram aumento de 200% nas vendas. Os comerciantes e lojistas também festejaram o resgate da região, que voltou a atrair os moradores. Ponto turístico de Belo Horizonte, o Mercado Central fechou os números com um aumento de 40% no movimento.

Na área da cultura, o balanço também é positivo. O Circuito Cultural da Praça da Liberdade registrou 125 mil visitas durante a Copa do Mundo no Brasil. O museu do Inhotim, em Brumadinho, região metropolitana da capital mineira recebeu 40 mil turistas. Já o Palácio das Artes, no centro de BH, teve 35 mil visitantes.

Ana Fontana/Setes-MG#Fan Fest em BH teve 15 dias de programação e atraiu 250 mil pessoasFan Fest

As 45 atrações musicais e a exibição de jogos atraíram um público de 250 mil pessoas nos quinze dias de programação da FIFA Fan Fest na capital mineira. Em cinco dias que houve jogo do Brasil, o Centro de Convenções Expominas alcançou a capacidade máxima de 21 mil pessoas. Não houve nenhuma ocorrência grave. O pior incidente foi uma torção de tornozelo. Na Fan Fest, os torcedores também puderam se deliciar com a culinária mineira. Foram 3,5 toneladas de feijão tropeiro e 900 quilos de pão de queijo consumidos.

Mineirão

O Mineirão, que pela primeira vez foi palco da Copa do Mundo, recebeu seis jogos do mundial. O público total presente foi de 345,350 mil pessoas, alcançando uma média de 57,558 mil torcedores por jogo. Sete mil jornalistas trabalharam no estádio, sendo 1,7 mil só na semifinal. O trajeto para o estádio foi feito, em boa parte, pelo transporte público. No total, foram 100 mil passageiros nos ônibus dos Terminais Copa e 30 mil no BRT Move.

Legado turístico

Segundo uma pesquisa feita pela Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa-MG), a hospitalidade dos mineiros foi o item mais bem avaliado pelos turistas, seguido pela gastronomia e por serviço de bares, restaurantes e hotéis.

Camillo Fraga destacou os números positivos do Mundial para o processo de internacionalização de Belo Horizonte. “Depois da Copa, mais de 90% do público recomenda a cidade de Belo Horizonte e gostaria de voltar aqui. É um momento para o futuro da cidade como destino de turismo, de negócios, de eventos e também agora uma marca de turismo cultural”, finalizou Fraga.

Fabrício Faria, do Portal da Copa em Belo Horizonte

Notícias Relacionadas

Espaços oferecem entretenimento, local para descanso, informações turísticas, internet wifi e outras comodidades para os viajantes. No Santos Dumont, 26,8 mil pessoas aproveitaram a estrutura oferecida
+
Mais de 10 mil pessoas assistiram à classificação da Argentina se emocionaram com a dupla sertaneja
+
Atuação em pontos estratégicos garante o bom atendimento aos visitantes que passam pela capital mineira durante o Mundial
+
Semifinal entre Brasil e Alemanha marca o fim dos jogos na capital mineira; atuação segue no aeroporto até 10 de julho e na FIFA Fan Fest até o encerramento do torneio
+