Balanço: Belo Horizonte contabiliza receita direta de R$ 451 milhões com turistas durante a Copa

15/07/2014 - 15:33
Durante o Mundial, a capital mineira recebeu 355 mil visitantes,que gastaram em média R$ 1,2 mil. A estimativa de retorno financeiro indireto é de R$ 1,6 bilhão

Durante o período da Copa do Mundo, um total de 355 mil turistas estiveram em Belo Horizonte. O gasto médio desse visitante foi superior a R$ 1,2 mil, um valor 35% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. O montante gerou uma receita direta superior a R$ 451 milhões. Se for considerada a receita indireta, a estimativa chega a R$ 1,6 bilhão, nos setores de comércio e serviços de Belo Horizonte.

A taxa de permanência na cidade foi de 6,7 dias, tempo 37% maior que em 2013. Além de Belo Horizonte, 32% dos turistas visitaram outros municípios de Minas Gerais, como Ouro Preto, Mariana, Tiradentes e Brumadinho.

O balanço positivo da Copa na capital mineira foi apresentado na manhã desta terça-feira (15.07) pelo secretário municipal Extraordinário para a Copa, Camillo Fraga, e pelo secretário estadual Extraordinário para a Copa, Tiago Lacerda. “Foi uma grande oportunidade que os mineiros e os belohorizontinos tiveram de participar de um evento tão bonito e tão grandioso. Foi muito positivo todo esse intercâmbio cultural, pessoas de vários países passando aqui na cidade e a festa em que a cidade se transformou. Tudo isso é muito importante, principalmente para a autoestima das pessoas, que tiveram essa oportunidade”, comemorou Lacerda.

Danilo Borges/Portal da Copa#Mineirão recebeu seis partidas da Copa do Mundo, entre elas duas da Seleção Brasileira, nas oitavas de final e nas semifinais

Belo Horizonte recebeu seis jogos da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014, quatro válidos pela primeira fase, um das oitavas de final e uma semifinal. A Seleção Brasileira jogou na capital mineira duas vezes. Nas oitavas de final, enfrentou o Chile e se classificou nos pênaltis. Na semifinal, foi surpreendida pela Alemanha e perdeu por 7 x 1.

Colômbia, Grécia, Bélgica, Argélia, Irã, Argentina, Costa Rica e Inglaterra também jogaram no gramado do Mineirão. Além disso, as seleções de Argentina e Chile usaram Centros de Treinamento de Belo Horizonte como base de preparação e o Uruguai escolheu a cidade de Sete Lagoas.

Hospedagem

Os albergues tiveram o maior aumento na parcela de hospedagem. Ano passado, apenas 1,3% de todos os turistas da cidade ficavam em albergues. No período da Copa, esse número passou para 20%. Outros 19% se hospedaram em casa de amigos e parentes e 46% ficaram em hotéis e pousadas. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) divulgou números que mostram uma taxa média de ocupação, entre 14 de junho e 8 de julho, de 75%, tendo alcançado 95% na véspera da seminal entre Brasil e Alemanha, no Mineirão.

Fotos: Danilo Borges/Portal da Copa#Região da Savassi virou ponto de encontro dos torcedores em BH. Atrações culturais e opções de transporte foram elogiadas pelos visitantes

Savassi

Duzentas mil pessoas estiveram nos eventos da região da Savassi. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), houve bares e restaurantes da região que registraram aumento de 200% nas vendas. Os comerciantes e lojistas também festejaram o resgate da região, que voltou a atrair os moradores. Ponto turístico de Belo Horizonte, o Mercado Central fechou os números com um aumento de 40% no movimento.

Na área da cultura, o balanço também é positivo. O Circuito Cultural da Praça da Liberdade registrou 125 mil visitas durante a Copa do Mundo no Brasil. O museu do Inhotim, em Brumadinho, região metropolitana da capital mineira recebeu 40 mil turistas. Já o Palácio das Artes, no centro de BH, teve 35 mil visitantes.

Ana Fontana/Setes-MG#Fan Fest em BH teve 15 dias de programação e atraiu 250 mil pessoasFan Fest

As 45 atrações musicais e a exibição de jogos atraíram um público de 250 mil pessoas nos quinze dias de programação da FIFA Fan Fest na capital mineira. Em cinco dias que houve jogo do Brasil, o Centro de Convenções Expominas alcançou a capacidade máxima de 21 mil pessoas. Não houve nenhuma ocorrência grave. O pior incidente foi uma torção de tornozelo. Na Fan Fest, os torcedores também puderam se deliciar com a culinária mineira. Foram 3,5 toneladas de feijão tropeiro e 900 quilos de pão de queijo consumidos.

Mineirão

O Mineirão, que pela primeira vez foi palco da Copa do Mundo, recebeu seis jogos do mundial. O público total presente foi de 345,350 mil pessoas, alcançando uma média de 57,558 mil torcedores por jogo. Sete mil jornalistas trabalharam no estádio, sendo 1,7 mil só na semifinal. O trajeto para o estádio foi feito, em boa parte, pelo transporte público. No total, foram 100 mil passageiros nos ônibus dos Terminais Copa e 30 mil no BRT Move.

Legado turístico

Segundo uma pesquisa feita pela Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa-MG), a hospitalidade dos mineiros foi o item mais bem avaliado pelos turistas, seguido pela gastronomia e por serviço de bares, restaurantes e hotéis.

Camillo Fraga destacou os números positivos do Mundial para o processo de internacionalização de Belo Horizonte. “Depois da Copa, mais de 90% do público recomenda a cidade de Belo Horizonte e gostaria de voltar aqui. É um momento para o futuro da cidade como destino de turismo, de negócios, de eventos e também agora uma marca de turismo cultural”, finalizou Fraga.

Fabrício Faria, do Portal da Copa em Belo Horizonte

Notícias Relacionadas

Ainda atordoados pela goleada contundente diante da Alemanha na semifinal da Copa, atletas comentaram a pane que tirou a equipe da decisão
+
Para Joachim Löw, time germânico soube aproveitar os espaços dados pela seleção de Felipão e também o descontrole dos jogadores brasileiros após os primeiros gols
+
Técnico da Seleção Brasileira lamentou a pane que o time sofreu logo após levar o primeiro gol no Mineirão
+
Derrota histórica diante da Alemanha desanimou o dia de festa na capital mineira
+