Bicampeão do mundo, Nilton Santos morre aos 88 anos no Rio de Janeiro

27/11/2013 - 17:09
Ex-lateral sofria de mal de Alzheimer e faleceu por causa de insuficiência respiratória. Ele defendeu a Seleção Brasileira em quatro Copas, tendo conquistado duas

BFR#Nilton Santos (primeiro da esquerda para a direita) ao lado de Garrincha, Didi e ZagalloBicampeão mundial pela Seleção Brasileira em 1958 e 1962, o ex-lateral-esquerdo Nilton Santos morreu nesta quarta-feira (27.11) aos 88 anos, em um hospital do Rio de Janeiro, por complicações respiratórias e cardíacas. Nilton Reis dos Santos sofria de mal de Alzheimer e estava internado em uma clínica especializada da capital carioca.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, lamentou a morte de Nilton Santos em nota. "Lamento profundamente a morte desse atleta e homem exemplar e me solidarizo com seus familiares e amigos", disse o ministro. A presidenta Dilma Rousseff demonstrou pesar em seu perfil na rede social Twitter (@dilmabr): "O futebol perdeu hoje a sua ‘enciclopédia’, Nilton Santos, o grande lateral campeão mundial de 1958 e 62." A morte do ex-lateral também foi lamentada pela Confederação Brasileira de Futebol.

Um dos maiores ídolos da história do Botafogo, clube em que jogou ao lado de Garrincha, Nilton foi apelidado de “Enciclopédia do Futebol” por sua inteligência em campo. Ele disputou quatro Copas do Mundo: foi reserva em 1950, titular em 1954 e campeão por duas vezes seguidas, em 1958 e 1962. 

Nascido no Rio em 1925, Nilton entrou para a história do futebol por ter mudado a maneira de os laterais atuarem. Na época em que Nilton começou a jogar, os laterais tinham funções predominantemente defensivas. Ele, no entanto, gostava de se lançar ao ataque e chegou a marcar um gol na Copa de 1958, contra a Áustria, partida que o Brasil venceu por 3 x 0.

O ex-lateral também ficou conhecido por um lance curioso. Na Copa de 1962, Nilton deu um passo a frente, para fora da área, após fazer falta em um jogador da Espanha, em partida que decidiria o futuro das duas equipes. O árbitro marcou falta fora da área e o Brasil conseguiu virar o jogo para 2 x 1, avançando no Mundial.

Além da Seleção Brasileira e da Seleção Carioca, Nilton Santos só defendeu um time durante sua vida: o Botafogo. Pela equipe alvinegra, ele conquistou quatro troféus de Campeonatos Cariocas e duas taças Rio-São Paulo. Sua ampla visão de jogo permitiu que ele se tornasse ídolo em um time que contava com craques como Garrincha, Zagallo e Didi. Ele defendeu o Botafogo em 718 partidas entre 1948 e 1964. Marcou 11 gols. Pela Seleção, foram 75 partidas oficiais e 2 gols em 13 anos, entre 1949 e 1962.

Leia também:

» Histórias das Copas - 1950: Brasil sofre decepção do tamanho do Maracanã

» Histórias das Copas - 1954: O Maracanazo húngaro

» Histórias das Copas - 1958: O primeiro título do Brasil e o surgimento do Rei

» Histórias das Copas - 1962: A consagração de Garrincha

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

As duas equipes se enfrentarão em Singapura. Este será o quarto jogo do Brasil neste segundo semestre
+
Taffarel será o preparador de goleiros, enquanto Mauro Silva ocupará o cargo de assistente técnico, criado para ser rotativo. Andrey Lopes será o auxiliar
+
Coordenador geral de seleções, Gilmar Rinaldi, confirmou que o Brasil será comandado pelo treinador da equipe de base, Alexandre Gallo, nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Novos membros da comissão técnica serão anunciados em breve
+
“Eu e o Tetra – Lembranças de 1994” conta com depoimentos de ex-jogadores como Romário e Raí e do técnico Parreira
+