Caminhões da Companhia de Limpeza Urbana do Rio de Janeiro serão movidos a biodiesel

30/06/2014 - 19:34
Iniciativa faz parte do Plano de Promoção do Brasil para a Copa: haverá redução de 60% na emissão de gases de efeito estufa

Pela primeira vez, caminhões da Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Rio de Janeiro (Comlurb), a maior organização de limpeza pública na América Latina, serão movidos a biodiesel produzido a partir de óleo de cozinha usado. A ação prevê o uso do combutível produzido exclusivamente a partir de óleos residuais coletados nas comunidades da cidade através da inclusão produtiva de catadores de materiais recicláveis. A iniciativa faz parte do Plano de Promoção do Brasil para a Copa do Mundo do Governo Federal.

O biodiesel B20 será utilizado inicialmente em 10 caminhões da empresa CS Brasil, que presta serviços para a Comlurb. Eles vão utilizar uma mistura de combustível com 20% de biodiesel. Ao todo serão utilizados 6 mil litros de Biodiesel na operação que prevê a redução de até 60% nas emissões de gases de efeito estufa (GEE) e a proteção direta de 72 milhões de litros d'água.

O projeto Bioplanet fornecerá o biodiesel pelo prazo de seis meses, podendo ser prorrogado caso os resultados alcançados sejam positivos. O desempenho dos caminhões será acompanhado pela Gerência de Pesquisas Aplicadas da Comlurb.

Educação ambiental

O Arranjo Produtivo Local (APL) do projeto, com estrutura para recebimento e produção do combustível, está localizado no Polo Industrial de Sustentabilidade do Rio de Janeiro e inclui a participação de catadores de materiais recicláveis e ações de educação ambiental de crianças e adolescentes.

Segundo o Conselho Nacional do meio Ambiente (CONAMA), um litro de óleo residual contamina 12 mil litros d’água. Atualmente no Brasil são descartados no meio ambiente, conforme indicam estudos da Casa Civil da Presidência da República, aproximadamente 1,5 bilhão de litros de óleos residuais por 50 milhões de residências e pequenos estabelecimentos de alimentação.

O biodiesel do projeto Bioplanet já foi responsável pela proteção de 60 milhões de litros d'água e a redução global de 12,6 toneladas de carbono equivalente (Coe) com a sua utilização nos geradores de energia da Jornada Mundial da Juventude – inclusive no palco onde o Papa Francisco rezou missa na praia de Copacabana –, ano passado, no Rio de Janeiro.

Giuliander Carpes, do Portal da Copa no Rio de Janeiro

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+