Candidatos a voluntários compartilham oportunidades de hospedagem

16/05/2013 - 10:58
Enquanto alguns buscam lugar para ficar, outros abrem as portas para receber colegas durante atuação na Copa das Confederações

Com a chegada da Copa das Confederações, candidatos do Brasil Voluntário que não moram nas cidades-sede buscam as mais variadas formas de hospedagem, como hoteis, albergues ou pousadas. Mas também existe outra opção: buscar voluntários que ofereçam hospedagem nas próprias casas. A hospitalidade característica do povo brasileiro se estende entre os inscritos do programa.

Os fóruns das cidades-sede na rede social tem sido a forma encontrada para trocar informações e até mesmo acertar um lugar para ficar. A candidata do Rio de Janeiro Eliana Silva, 55 anos, é um exemplo. Ela ofereceu sua casa para estadia durante o período de atuação do programa. “Eu vi a postagem de um candidato e me ofereci para ajudar, pois sabia da sua dificuldade”, conta.

“Acho que é uma boa ideia os voluntários abrirem as portas para outros voluntários. Quem viaja para outra cidade às vezes fica perdido e sem lugar para ficar. Esta é uma oportunidade que deve ser dada às outras pessoas”, afirma. Eliana fez um curso de recepção e hospedagem e, depois disso, passou a hospedar pessoas em diversas situações. Para ela, os conhecimentos adquiridos devem garantir uma boa colaboração na recepção de visitantes durante a Copa. A candidata a conta que vai hospedar um grupo de jovens durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em julho, logo após a Copa das Confederações.

Se há quem oferece, há também quem procura. É o caso do candidato Gabriel Oliveira, 29 anos, que mora em Campinas (SP). Ele se inscreveu para atuar no Rio de Janeiro, tem participado do treinamento presencial e agora busca um lugar para ficar na capital carioca durante a Copa. “Até agora consegui somente vagas em albergues e pousadas, mas preferiria ficar na casa de outro voluntário para interagir com alguém que está atuando comigo”, diz. Ele espera conseguir uma vaga assim que tiver a oportunidade de conhecer melhor os voluntários.

O candidato sabe das dúvidas de quem pensa em abrir as portas de casa: a preocupação com a segurança. “Acho que a segurança é um dos principais quesitos a serem avaliados. Acredito que o que pode facilitar o processo é deixar que o dono da casa tenha acesso ao perfil pessoal [em redes sociais] do candidato a hóspede, afinal lá ele pode ter acesso a diversas informações”, diz. Eliana também lembra que é importante fazer uma espécie de entrevista com o futuro hóspede antes do acolhimento, seja ele voluntário ou não, para garantir a segurança e evitar desentendimentos.

Cadastur
Quem busca um meio de hospedagem tradicional nas seis cidades-sede da Copa das Confederações contará com mais de 290 mil quartos disponíveis de diversos tipos, segundo dados do Governo Federal. Desde 2008, a nova Lei do Turismo estabelece que todo hotel deve ser cadastrado no Ministério do Turismo. Quem busca um lugar para ficar pode acessar o site Cadastur e verificar se o local é cadastrado. No mesmo site é possível fazer uma busca de meio de hospedagem por cidade e estado. Para entrar nos fóruns das cidades-sede, utilize o seu perfil na rede Brasil Voluntário e acesse o link: https://www.brasilvoluntario.gov.br/internal/#/community/list

Fonte: Portal Brasil Voluntário

Notícias Relacionadas

Durante o Mundial foram feitas 11.251 denúncias de abusos contra crianças e adolescentes
+
Capital do Mato Grosso contou com a atuação de 357 voluntários, em locais como aeroporto, rodoviária, Arena Cultural, entorno da Arena Pantanal, FIFA Fan Fest e Centro Aberto de Mídia
+
Voluntários do governo federal aprovam experiência no Mundial; objetivo agora é aproveitar a vivência adquirida em novos projetos e na busca por oportunidades no mercado de trabalho
+
Foram registradas 5.185 demandas nos aeroportos e 75 nos estádios das 12 cidades-sede
+