Centro Aberto de Mídia tem balanço positivo durante a Copa das Confederações

02/07/2013 - 17:18
Projeto-piloto ofereceu infraestrutura física e tecnológica para jornalistas nacionais e estrangeiros no Forte de Copacabana

Mais de 500 profissionais de comunicação circularam pelo Centro Aberto de Mídia (CAM), no Forte de Copacabana, Rio de Janeiro, durante a Copa das Confederações FIFA 2013, incluindo jornalistas brasileiros, estrangeiros e assessores de imprensa. Projeto-piloto no Brasil, o CAM ofereceu infraestrutura física e tecnológica para jornalistas  nacionais e do exterior, e um programa de observadores para subsidiar o planejamento das Cidades-Sede da Copa em 2014.

A iniciativa foi avaliada positivamente pelo Governo Federal e pela Prefeitura do Rio de Janeiro, parceiros no projeto, porque trouxe informações concretas sobre as principais necessidades da imprensa durante a cobertura da Copa das Confederações FIFA 2013. “Nossos objetivos foram alcançados, pois temos hoje dados precisos do que os jornalistas nacionais e internacionais esperam de um centro de mídia como este, voltado especialmente para atender às demandas da imprensa não credenciada", disse Ana Cristina Cunha, coordenadora do Centro Aberto de Mídia.

Serviços de broadcast

Em 22 dias de funcionamento, foram realizadas coletivas de imprensa, transmitidas ao vivo pelo canal NBR, sobre temas como Esporte, Segurança Pública, Aeroportos, Turismo, Sustentabilidade, Telecomunicações e Ciência e Tecnologia. O espaço também foi utilizado para briefings, entrevistas exclusivas com porta-vozes oficiais, locação para produção de matérias de TV e rádio. Cerca de 40 horas de imagens foram geradas para emissoras de TV do mundo inteiro pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), responsável pela coordenação dos serviços de broadcast. Vinte galerias de imagens em alta resolução foram disponibilizadas no Portal da Copa (copa2014.gov.br/imprensa) para dar suporte ao trabalho dos jornalistas.

Sérgio Guimarães, da Rádio Gaúcha, que já esteve em três Copas do Mundo e duas Olimpíadas, aprovou a iniciativa e a estrutura do Centro. “É uma oportunidade para que os profissionais não credenciados pela FIFA tenham acesso a um lugar que oferece inúmeras facilidades para desenvolverem seu trabalho. Para o jornalista estrangeiro isso é muito importante e a instalação é excelente senão a melhor que já encontrei”, afirmou. “É um bom local para se trabalhar. Prático, perto de tudo, com ótima conexão de internet e acima de tudo muito tranquilo, o que é fundamental para os jornalistas. Não tenho críticas a fazer, só elogios”, disse Florent Torchut, do L'Équipe, da França.

Outro profissional experiente em grandes eventos, o equatoriano Fernando Aguayo, da TV Telerama (Equador) e da Mega TV (Miami), também registrou avaliação positiva. "Desde o primeiro momento em que chegamos ao CAM percebemos as pessoas muito preocupadas em nos ajudar com nossas pautas e a resposta foi imediata, positiva e efetiva. Conseguimos praticamente realizar todas as entrevistas programadas. O mais interessante foi que notei que essa preocupação não era de uma só pessoa, mas de toda a equipe envolvida”.

Press tours

Trinta jornalistas também tiveram a oportunidade de participar de press tours organizados pela Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Riotur.  Além de visitarem alguns dos principais pontos turísticos da cidade, conheceram projetos como o programa de habitação sustentável Morar Carioca Verde, o projeto Porto Maravilha, a UPP localizada na Comunidade Dona Marta e o Centro de Operações Rio. A Marinha do Brasil também possibilitou aos jornalistas visitar navios e conhecer projetos relacionados à Segurança e a Defesa Nacional.

Rumo a 2014

Ao todo, 54 representantes do Programa de Observadores das Cidades-Sede da Copa do Mundo da FIFA 2014 conheceram as instalações e serviços do CAM e mostraram grande interesse na infraestrutura e nos serviços de geração de imagens coordenados pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). O conhecimento adquirido por meio do Programa de Observadores poderá subsidiar a implantação de centros similares em outras cidades-sede.

Pesquisa de avaliação

Para aperfeiçoar os serviços do CAM durante a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, há uma avaliação disponível sobre a experiência no CAM na Copa das Confederações em uma breve pesquisa. Por favor dedique alguns minutos para responder aqui.

Veja alguns depoimentos de jornalistas sobre o CAM:
 

“Aqui é legal para trabalhar e fácil de chegar. Acredito que a França vai conseguir se classificar para a Copa e muitos jornalistas franceses virão para o Brasil. Junto com os jornalistas dos outros países eles podem fazer esse lugar ficar pequeno”.
Gaelle Darengosse, Le Parisién, França.
 

“O espaço oferece um ótima condição para o trabalho dos jornalistas, com preocupação para os jornalistas de todas as mídias. Os estúdios de rádio são muito apropriados. O jornalista encontra uma ótima condição de trabalho aqui”.
João Vitor, Rádio Tupi, Brasil.
 

“Como local de trabalho é muito bom para os jornalistas que não estão credenciados pela FIFA. Funciona como alternativa, portanto, aos centros onde estão ocorrendo os jogos. Conta-se ainda com assessoria para se obter informações sobre outros aspectos do evento e press tours que ajudam o jornalista estrangeiro a conhecer melhor o lugar”.
Lemay Padrón, Agência Prensa Latina, Cuba.
 

“É uma ótima ideia, um apoio para quem não está credenciado e para quem está cobrindo muito além da competição. Temas como desempenho em turismo, comércio e infraestrutura. Ter um centro independente da FIFA também é muito importante. Acredito que para o jornalista brasileiro é muito importante nesse sentido, ele pode ter acesso a dados e informações das instituições do país que são muito importantes para avaliar o evento”
Vinicius Konchinski, Portal UOL, Brasil.
 

“Viemos para noticiar a Copa, mas não temos os direitos de transmissão da FIFA. Um Centro como esse é de muita utilidade, oferece uma estrutura muito confortável. Todos vocês que aqui trabalham são atenciosos. A conexão de internet é muito veloz. Acredito que é muito importante oferecer um espaço assim para os jornalistas estrangeiros que aqui chegam para cobrir a competição e podem contar com esse apoio”.
Willy Alberto Wendt, Sitel TV e Rádio Marítima, Bolívia.
 

 

“Uma vista maravilhosa a da praia de Copacabana é o que gozam os jornalistas que cobrem na sede do Rio de Janeiro a Copa das Confederações e que usam as dependências do Centro Aberto de Mídia, montado pelo Governo Federal Brasileiro para a competição. O Centro está localizado no Forte de Copacabana, se trata de uma instalação ampla com todas as facilidades necessárias tanto para a imprensa escrita, de rádio e de televisão”.
Jaime Antonio Alvarado, Rádio Equatoriana Super K-800, Equador. (Registro em seu blog no Portal da Rádio)