Chilenos usam motor home para seguir “La Roja” pela Copa

17/06/2014 - 19:55
Amigos de Santiago viajaram 6 mil quilômetros e estacionaram veículo na beira da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro

O comerciante chileno Daniel Barrios, 64 anos, se considera um aventureiro. Daí a vontade de comprar um motor home, espécie de casa sobre rodas, desde que era mais jovem. Juntou dinheiro e, um ano atrás, adquiriu o veículo 1994 em Nova Jersei, nos Estados Unidos por US$ 15 mil. Cruzou o país de costa a costa com a filha e colocou uma ideia na cabeça: usar o carro para acompanhar o Chile na Copa do Mundo no Brasil.

“A viagem pelos Estados Unidos foi uma espécie de ‘eliminatórias’ deste motor home para a Copa. Andamos por 20 mil quilômetros de Nova York à Califórnia sem nenhum problema. Ele passou no teste e agora está no Brasil para o Mundial”, brinca Barrios, que investiu outros US$ 15 mil para transportar o veículo de barco até o Chile.

Barrios saiu de Santiago com o amigo Roberto Covarrubias,  engenheiro elétrico de 32 anos, e andou 4 mil quilômetros até Cuiabá, onde viram o Chile bater a Austrália. Dois dias depois, aportaram na praia mais famosa do Rio de Janeiro e uma das mais cobiçadas do mundo: Copacabana. Arrumaram uma vaga de estacionamento na orla e não podiam pedir mais.

“Demos muita sorte de achar este lugar aqui. Os policiais não nos tiraram e passaram a noite inteira aqui fazendo a segurança de todo mundo. Daqui só tiramos o carro para irmos a São Paulo. Vamos para o jogo de metrô”, diz Covarrubias. Os dois ainda não conseguiram ingresso para a partida desta quarta-feira, no Estádio Maracanã, contra a Espanha.

Fotos: Giuliander Carpes#Quarto confortável, estrutura para alimentação e motor para "um milhão de quilômetros". É dessa forma que os amigos Daniel e Roberto seguem a seleção chilena

Estrutura completa

Além da bela vista ao estacionarem na beira da praia, impressiona a qualidade da hospedagem dos chilenos. O motor home tem cozinha, televisão 24 polegadas, sala, mesa de jantar, um banheiro com chuveiro e um quarto com cama de casal. Conforto semelhante ao de qualquer hotel, com o plus, para eles, de ser decorado com as cores do Chile.

“Já nos sentimos em casa. Minha mulher que não gosta muito. Ela ficou no Chile e já nos viu na televisão. Está preocupada com as mulheres brasileiras. Nós vamos ter que nos reconciliar com a taça da Copa do Mundo nas mãos”, afirma Barrios, sorrindo.

Os dois acreditam que o Chile pode vencer a Espanha e garantir a classificação para as oitavas de final, quando podem enfrentar o Brasil. É tudo o que eles não desejam. “Todos menos a Seleção Brasileira. Sempre perdemos. “, lembra Barrios.

Se ganharem, os amigos esperam fazer, no total, outros 20 mil quilômetros nas estradas. “O nosso motor é bom. Tem garantia de 1 milhão de quilômetros”, garante o chileno. “Falta ver se ‘La Roja’ vai conseguir ir adiante.”

Giuliander Carpes, do Portal da Copa no Rio de Janeiro

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+