Com viagem planejada ou de última hora, torcedores chegam animados para a semifinal paulista

09/07/2014 - 15:44
Holanda x Argentina, partida que define quem enfrenta a Alemanha na final, terá início às 17h desta quarta na Arena Corinthians

Fotos: Carol Delmazo#O holandês Ben Oude faz sucesso entre os torcedores argentinos e holandeses

Ele é atração por onde quer que passe.  Quando Ben Oude Kamphius - o holandês que percorreu 23 mil quilômetros da Califórnia até o Brasil para a Copa – chegou à Arena Corinthians, os pedidos de fotos não pararam. Alguns dizendo que adoram a história dele, outros encantados com a roupa e os apetrechos de cor laranja, e todos confraternizando antes de a bola rolar para Holanda e Argentina em São Paulo.

“Hoje tive a sorte de ganhar ingresso para o jogo, mas o mais importante é estar com as pessoas de todos os países, confraternizar. Os brasileiros são receptivos, amigos, me ajudaram com comida, banho, roupas. Está sendo uma viagem maravilhosa”, disse Ben.

#Ben e Joep: viagem de última hora da Holanda até a Arena CorinthiansSe a viagem dele foi planejada e teve início há vários meses, Ben e Joep Hoijtink ainda precisam se acostumar com o fuso horário brasileiro. Chegaram ontem à noite a São Paulo, animados com a campanha da Holanda na Copa. Compraram ingressos na semana passada para a semifinal. “A gente achava que a Holanda não ia passar da fase de grupos, mas a campanha do time surpreendeu. Quando passamos das oitavas, decidimos comprar a passagem de última hora e vir para o Brasil. Ainda passamos um aperto no jogo com a Costa Rica, mas deu tudo certo”, contou Joep.  “E agora queremos ir para o Rio. Se chegamos até aqui, que passemos para a final”, acrescentou o pai, Ben.

Argentinos

“Brasil, decime que se siente, tener em casa a tu papá...”. Hoje a música argentina que tanto é entoada pelos hermanos em provocação ao Brasil ganhou ainda mais força com a derrota da seleção-anfitriã para a Alemanha por 7 x 1. Mesmo sem saber o resultado da semifinal desta quarta, a goleada sofrida pelo rival já é suficiente para os festejos argentinos. 

Guilhermo Torres se veste com as cores do país da cabeça aos pés. Com cara séria, disse que ficou aborrecido porque viu os brasileiros torcendo contra a Argentina nos jogos com Bósnia, Irã, Nigéria, Suíça e Bélgica, já que esteve em todos as partidas “Brasileiro tem que torcer para o Brasil, não é contra a Argentina. Bem feito por ontem. E agora vamos para a final”, disse. Mas a cara séria se desfez no primeiro pedido de foto de outros torcedores.

Os argentinos Adriana e Roberto Abrahan não veem problema na provocação, considerada quase natural devido à rivalidade entre os dois países.  “É um folclore do futebol, faz parte. Enquanto forem gritos de incentivo e cantos, sem violência, não vejo o menor problema”, disse Roberto.

O casal está na terceira Copa e busca sempre ir aos jogos usando o que chamam de “look de la buena vibra”, para passar boas energias ao time. Eles adoraram os Mundiais da Alemanha e da África do Sul, mas o do Brasil ficará marcado na memória deles pela hospitalidade e alegria do país anfitrião. E se a Copa é na América do Sul, para eles, que o continente tenha representação na final. “Brasil se foi? Que a Argentina esteja no Maracanã no dia 13 de julho. Representaremos muito bem a América do Sul”, disse Roberto.

#Adriana e Roberto (E) e Guillermo (D): formas diferentes de encarar a provocação e a rivalidade entre Brasil e Argentina

Carol Delmazo – Portal da Copa

 

Notícias Relacionadas

Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Aeroportos, segurança pública e atrativos turísticos têm mais de 80% de aprovação entre os profissionais de imprensa
+
Ao todo, 1,6 milhão de passageiros passaram pelos terminais entre 10/6 e 13/7. A cada 10 passageiros que desembarcaram no país, um passou pela capital
+