Confira o balanço das atividades do Estádio Mané Garrincha em 2013

30/12/2013 - 12:00
Secretário extraordinário da Copa do Distrito Federal, Claudio Monteiro, comentou os resultados alcançados na nova arena, falou do problema com goteiras enfrentado durante o Torneio Internacional de Futebol Feminino e citou os preparativos de Brasília para o Mundial do ano que vem

ME/ Portal da Copa/ Novembro de 2013#

Desde que foi inaugurado, em maio de 2013, o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, recebeu 27 eventos, entre jogos de futebol e shows. Em seis meses, a nova arena atraiu 640 mil pessoas. Para se ter um comparativo, o antigo Mané Garrinha teve público de 340 mil torcedores em 36 anos.

“O estádio já consolidou a vocação para atrair eventos em Brasília, sejam esportivos ou culturais. Antes esses shows ficavam sempre na rota Rio-São Paulo. E Brasília, por ser a capital do país, precisava de um local para receber esse tipo de evento. Isso beneficia a população pela oportunidade de ir a grandes eventos, pela geração de postos de trabalho e também pelos investimentos que a cidade recebe, já que a taxa de ocupação cobrada dos organizadores é revertida aos cofres públicos”, explicou o secretário extraordinário da Copa do Distrito Federal, Claudio Monteiro.

A partida que teve recorde de renda e público do Campeonato Brasileiro de 2013 também foi realizada no novo estádio de Brasília. O jogo Santos x Flamengo, em 26 de maio, contou com 63.501 pagantes e gerou R$ 6,9 milhões. Foi a última partida do atacante Neymar com a camisa do Santos.

O Mané Garrincha sediou também a abertura da Copa das Confederações da FIFA 2013, em 15 de junho, quando o Brasil venceu o Japão por 3 x 0 e iniciou a campanha que levou ao título a Competição. O público, naquela ocasião, foi de 67.823 pessoas. O gol de Neymar, que abriu o placar contra os japoneses, está concorrendo como o mais bonito do ano na premiação do Bola de Ouro da FIFA / Revista France Football.

Futebol Feminino

O estádio foi palco da conquista do tetracampeonato da Seleção Brasileira no Torneio Internacional de Futebol Feminino, que teve a participação de Chile, Canadá e Escócia. Entretanto, na final entre Brasil e Chile, em 22 de dezembro, vencida pela equipe de Marta por 5 x 0, foram detectadas diversas goteiras na nova arena.  Providências para a resolução do problema já foram tomadas, segundo Claudio Monteiro.

“O estádio tem cinco anos de garantia junto ao consórcio responsável pela construção. Cobramos um laudo técnico e exigimos que a empresa faça os ajustes. E o que deve se deixar muito claro é que o reparo será feito sem nenhum custo para o Governo do Distrito Federal”, disse.

Portas abertas

Outro aspecto comentado pelo secretário de Copa foram os programas para abrir as portas do estádio para a comunidade. Por meio de iniciativas da secretaria da Copa em parceria com a secretaria de Educação, jovens de escolas públicas puderam acompanhar grandes eventos, e a população em geral teve a oportunidade de conhecer as instalações do Mané Garrincha, como vestiários, gramado e arquibancadas. Dessa forma, segundo Cláudio Monteiro, mais de mil moradores de São Sebastião, Ceilândia, Sobradinho, Sobradinho II, Fercal, Planaltina e Gama – regiões que compõem o Distrito Federal - estiveram no estádio.

Sustentabilidade

O estádio atende a vários critérios sustentáveis e tem o objetivo de conquistar o Leed Platinum, certificação máxima de sustentabilidade em edificações. Um dos projetos de sustentabilidade ligados ao novo Mané Garrincha é o Escolas da Copa, que vai reutilizar 2 mil toneladas de estruturas metálicas temporárias usadas na obra do Mané Garrincha na construção de escolas até 2014.

“Em princípio, serão 10 novas unidades em várias regiões do DF, o que vai ampliar a capacidade de atendimento e ajudar a consolidar a educação integral por aqui. Isso sem falar na economia de 40% em cada construção. Esse projeto é mais uma prova de que a Copa do Mundo não se limita a estádio e futebol”, disse o secretário Cláudio Monteiro.

Preparativos para a Copa

Entre os preparativos para o Mundial de 2014, estão os cursos de qualificação. Por meio do Qualificopa, milhares de pessoas receberam capacitação em áreas como hotelaria, turismo e idiomas. O número de leitos da rede hoteleira tradicional está sendo ampliado e, quem deseja algo mais em conta, poderá procurar hospedagem pelo programa alternativo Cama e Café, em que donos de casas e apartamentos cadastrados oferecem quartos para receber turistas.

A ampliação do aeroporto internacional Juscelino Kubitschek é outro ponto crucial a preparação da cidade, que também está realizando investimentos na rede de energia.

“O fornecimento de energia elétrica está melhorando, com investimentos como o da Subestação Estádio Nacional, inaugurada em dezembro, que vai reforçar toda a região, e não somente o estádio”, explicou Cláudio Monteiro.

Agenda 2014

Além dos sete jogos da Copa do Mundo, entre 12 de junho e 13 de julho, de acordo com o secretário, o estádio será palco das duas partidas finais do Campeonato Brasiliense, nos dias 5 e 12 de abril, e há previsão de retorno de jogos do Flamengo, além de pedidos de agenda para shows no segundo semestre.

Portal da Copa, com informações da Secopa/ DF

Notícias Relacionadas

No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Foi movimentado mais de um bilhão de reais na economia do estado, que recebeu 160 mil turistas estrangeiros e teve taxa média de ocupação hoteleira de 80%
+
Aeroportos, segurança pública e atrativos turísticos têm mais de 80% de aprovação entre os profissionais de imprensa
+
Ao todo, 1,6 milhão de passageiros passaram pelos terminais entre 10/6 e 13/7. A cada 10 passageiros que desembarcaram no país, um passou pela capital
+