Em clima de festa, torcedores chegam ao Mané Garrincha para acompanhar França x Nigéria

30/06/2014 - 12:00
Brasileiros e estrangeiros esbanjam alegria nos arredores do estádio em Brasília e elogiam a organização da Copa do Mundo

Um clima de muita festa e tranquilidade marcou a chegada dos torcedores ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha na manhã desta segunda-feira (30.06) para o quinto duelo que a capital recebe nesta Copa do Mundo, entre França e Nigéria, que começam a decidir seus destinos no Mundial às 13h.

Os portões foram abertos às 10h e embora a festa não tenha sido tão intensa como aquela promovida pelas torcidas de Colômbia e Equador em jogos da fase de grupos em Brasília, o clima da Copa tomava conta dos arredores da arena antes mesmo de os portões terem sido abertos. Muitos franceses, nigerianos e brasileiros tiram fotos juntos, conversam e, no caso dos adversários, mostram confiança para o duelo decisivo.

Luiz Roberto Magalhães/Portal da Copa#Brasileiros e nigerianos unidos na chegada ao Mané Garrincha

 “Vai ser 3 x 1”, apostava o francês Julien Fernand. “França 2 x 0. O primeiro gol será do Benzema”, arriscava o amigo Nicolas Leconte. Os moradores de Paris chegaram bem cedo ao Mané Garrincha para aproveitar com calma a atmosfera do local. “É melhor assim. No jogo da França contra o Equador, no Maracanã, deixamos para entrar em cima de hora. Não tivemos problemas, mas perdemos muito do clima antes”, lembra Julien, referindo-se ao duelo do dia 25 de junho, ainda pela fase de grupos.

Já o nigeriano Modupeola Oyename-Awodesy tinha outra estratégia. Ele chegou antes das 10h ao Mané Garrincha apenas para ver o estádio. Depois, decidiu retornar ao hotel, onde vai descansar e almoçar. “Meu hotel é muito perto daqui. Depois volto e vejo o jogo. Tudo tranquilo”, explicou. Ele sonha com um duelo africano pelas quartas de final. “Vamos eliminar a França e a Argélia vai eliminar a Alemanha. Desse jeito, já garantimos um africano nas semifinais”, explicou Modupeola, que esbanjou confiança no talento das seleções africanas.

Em sua primeira passagem pelo Brasil, o nigeriano Chimere Alim, que veio ao Brasil acompanhado de dois amigos, disse que ficou tão encantado com o país que já planeja voltar. “A Copa tem sido excelente, com muitos gols e um clima maravilhoso. Eu já vi a um jogo no estádio, entre Nigéria e Argentina (em Porto Alegre) e esse é meu segundo jogo no estádio. A organização que o Brasil montou para a Copa foi muito boa. Além disso, as pessoas são muito atenciosas, muito amáveis, e certamente eu pretendo voltar ao Brasil para conhecer mais do país”, elogiou.

Luiz Roberto Magalhães/Portal da Copa#Torcedora da Nigéria mostra toda sua simpatia. Ao lado, o francês Jean Marc Tailliez (de chapéu) com os amigos

Quem também estava muito feliz com os dias vividos no Brasil era o francês Jean Marc Tailliez. Ele chegou ao estádio completamente ornamentado com as cores da França e, depois de passar por Porto Alegre, Salvador, Rio de Janeiro e Brasília, avaliou a organização da Copa como excelente. “Tudo tem sido muito bom  e estou muito feliz por ter vindo ao Brasil”, declarou Jean Marc, que pela primeira vez visita um país da América do Sul.

Muitos argentinos também marcam presença no Mané Garrincha. Eles acreditam que a seleção de Lionel Messi disputará as quartas de final na capital federal, o que acontecerá se o time passar pela Suíça, nesta terça-feira (01.07), em São Paulo. “Muitos estão em Brasília por causa isso”, explica Carla Pazos, que está com a mãe e com a irmã. “Veremos a Argentina jogar em Brasília e vamos ganhando até chegar à final, quando jogaremos contra o Brasil”, aposta a torcedora.

Renato Freire e Luiz Roberto Magalhães, do Portal da Copa em Brasília

Notícias Relacionadas

No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Estrangeiros e brasileiros de outras partes do país visitam marcos arquitetônicos da capital federal
+
Profissionais federais e distritais trabalharão juntos em evento que terá 19 chefes de Estado
+