Curitiba: policiais bilíngues atenderão ocorrências de emergências pelos telefones 911 e 112

05/05/2014 - 17:21
Números utilizados nos Estados Unidos e na Europa estarão em funcionamento no estado durante o Mundial

Foto: Divulgação/Assessoria de Comunicação/Polícia Militar do Paraná#Para Ricardo Baggio (E), é uma oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissionalHá oito anos, Ricardo Augusto Baggio foi para os Estados Unidos trabalhar como auxiliar de limpeza e garçom. Foram quatro meses de experiência no Colorado para ganhar fluência na língua inglesa. Oito anos depois, aos 29 anos, o agora soldado da Polícia Militar do Paraná participou do último teste para trabalhar na Copa 2014. Ele será um dos 115 PMs bilíngues selecionados (100 fluentes em inglês e 15 em espanhol) pela diretoria de ensino e pesquisa da instituição para prestar atendimento aos turistas em Curitiba. A cidade receberá quatro partidas da primeira fase do Mundial, dentre elas Austrália x Espanha, no dia 23 de junho, com expectativa de reunir um grande pessoas falantes do inglês e espanhol no mesmo jogo.

“Fiquei surpreso e feliz. É uma oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional. Um desafio, um aprimoramento”, diz o soldado, locado na sede central do Corpo de Bombeiros, na capital paranaense. É de lá que serão atendidas parte das ocorrências, especialmente as ligações telefônicas. Durante a Copa do Mundo em Curitiba, o turista norte-americano ou europeu não precisará se preocupar em fixar um número de telefone novo, em caso de emergência. A Polícia Militar do Paraná já liberou os telefones 911 e 112, usados para emergências nos Estados Unidos e na Europa. Assim, será possível discar qualquer um dos dois e ter acesso ao 190 da PM. O 193, do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) e do Corpo de Bombeiros, já funciona de forma integrada com o telefone da PM.

No último teste, o soldado Baggio e os demais selecionados foram orientados sobre palavras, expressões, diálogos e principais questionamentos dos turistas. “Tivemos o cuidado de apresentar algumas expressões que podem gerar confusão ou dúvida durante o diálogo com os turistas”, explica o capitão Eduardo Slomp Aguiar, responsável pelos testes de língua inglesa. Ele cita uma palavra do uso cotidiano sobre segurança, capaz de deixar o policial em dúvida com relação a quais procedimentos tomar. “O verbo to assault, em inglês, pode significar não somente que a pessoa sofreu um assalto, significa também que a pessoa pode ter sido vítima de uma agressão, por exemplo”, salienta.

"Falsos amigos"

Preocupado com esse tipo de situação, o professor Benedito Rodrigues, responsável pelo teste de língua espanhola, alerta para os "falsos amigos", que são aquelas expressões que parecem ter um significado, por serem semelhantes ao português, mas que na verdade querem dizer algo completamente distinto. “Teremos a presença de muitos sul-americanos em Curitiba, devido à região de fronteira Brasil, Argentina e Paraguai, além da seleção do Equador que jogará aqui. Então, imagine a situação: a pessoa chega de carro e acaba furando o pneu dentro da cidade. O turista pergunta onde pode encontrar um taller? O policial mais desavisado pode indicar um restaurante para esse turista fazer uma refeição, quando na verdade ele procura uma oficina mecânica”, explica.

Atento às dicas do professor Rodrigues estava o capitão Wágner de Araújo. Formado em Letras/Espanhol pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), ele já trabalhou com a segurança da seleção do Uruguai durante o jogo contra o Brasil pelas eliminatórias do Copa do Mundo de 2002. Araújo já viajou por alguns países da América do Sul e acredita que a maior dificuldade do trabalho do policial bilíngue será entender as peculiaridades do dialeto de cada região. “Aqui no Brasil, em cada região falamos de um jeito. O espanhol do argentino é bem diferente do colombiano. Por isso é importante ter essa fluência no exterior para prestar um atendimento satisfatório”, comenta.

Passo a passo

Policiais fluentes em espanhol e inglês vão atender pelos números de emergência 911 ou 112. Também estarão concentrados na região do Aeroporto Internacional de Curitiba, na Arena da Baixada, na Rodoferroviária e na Fan Fest, que acontecerá na Pedreira Paulo Leminski. Se um turista estrangeiro fizer uma ligação para a emergência, terá o atendimento repassado para um dos atendentes capacitados. Os números também atenderão casos de acidentes. Se a ocorrência não for da alçada da polícia, a pessoa será redirecionada para o serviço correto.

“Temos contingente atuando na capital, por ser cidade-sede, e Foz de Iguaçu, no Oeste, que deve ser o destino de um número importante de turistas por ser a base da seleção da Coreia do Sul”, lembra o coronel Dabul, da diretoria de ensino e pesquisa da Polícia Militar do Paraná. Para ocorrências em Curitiba, o turista estrangeiro deve se dirigir à Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe). Na Rua Martim Afonso, 280, no São Francisco. No Oeste do Estado, na região de Foz do Iguaçu, o turista deve procurar 6ª Subdivisão Policial, na Avenida Paraná´, 1.199, Jardim Polo Centro.

Identificação

Os policiais intérpretes usarão boinas azuis com a bandeira da Inglaterra ou da Espanha. Caso o turista não fale nenhuma das duas línguas, um policial adequado será acionado.

Quando um inquérito for aberto pela Polícia Civil, para apurar uma ocorrência, seja o turista autor ou vítima de crime, um tradutor oficial do consulado do país correspondente será acionado.

Ângelo Binder, Portal da Copa em Curitiba

Notícias Relacionadas

Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+
Centro Integrado de Comando e Controle regional realizou 1,1 monitoramentos diários e acompanhou 300 atividades essenciais durante os 31 dias do Mundial na capital mineira
+
Profissionais federais e distritais trabalharão juntos em evento que terá 19 chefes de Estado
+
Governo do DF divulgou balanço de ações para a Copa do Mundo. Investimentos em segurança, turismo, mobilidade urbana e aeroporto ficam para a cidade
+