Fan Fest enche Anhangabaú de turistas e faz movimento de bar aumentar 40%

19/06/2014 - 23:09
Restaurante, que não funcionava em domingos e feriados, agora abre todo dia para receber torcedores

Leonardo Lourenço/ Portal da Copa#Estrangeiros e brasileiros "engordam" faturamento de bares na zona central de São Paulo, onde fica a Fan Fest

Céu cinzento, termômetro que não passava dos 14 graus e a ameaça de uma garoa que, no fim, não caiu. E um batalhão de ingleses que não demonstravam qualquer preocupação com o clima no centro de São Paulo na tarde desta quinta-feira (19.06). Alguns circulavam de bermuda e camiseta, como se ainda estivessem em Manaus, onde viram a derrota de sua seleção para a Itália poucos dias antes. O frio era solenemente ignorado, talvez efeito das muitas cervejas entornadas até então.

As latinhas e seus 355 ml não eram bastante para os visitantes, que preferiam matar a sede nas garrafas maiores, de 600 ml, normalmente compartilhadas entre amigos, mas transformadas em porção individual pelos britânicos, que desde as 10h já ocupavam o lugar.

A cena vista horas antes do confronto entre Inglaterra e Uruguai repete-se dia a dia no Vale do Anhangabaú, onde está instalada a Fan Fest paulistana, desde a abertura da Copa. Turistas sem ingressos se juntam aos brasileiros para ver as partidas do Mundial no telão do evento. Antes, porém, lotam as mesas dos bares ao redor para o aquecimento.

Criado em 1910, o Bar Guanabara é um ícone do centro da cidade. Apegado a tradições, o lugar abriu mão de uma delas pela Copa do Mundo. Desde o início do torneio, tem funcionado normalmente em domingos e feriados, o que não acontece em períodos comuns.

Leonardo Lourenço/ Portal da Copa#Antonio Augusto da Costa Silva, um dos sócios do Guanabara, quebrou a tradição e agora abre nos domingosQuem observa de fora, na expectativa de que vague uma mesa para se sentar, já imagina a justificativa para isso. Mas o comerciante Antonio Augusto da Costa Silva, um dos sócios do Guanabara, consegue ser ainda mais convincente. “O movimento aumentou entre 30% e 40% nesta última semana”, conta. “Não posso me queixar”.

Entre os torcedores, segundo Silva, o clima é de festa – mesmo entre os que exageram na bebida. Nesta quinta, os ingleses eram maioria na região, mas uruguaios e os onipresentes colombianos também coloriam o Anhangabaú.

“São muitos países, e eles interagem entre si. Ontem (quarta) aqui estava lotado de ingleses. Chegaram seis uruguaios e eles começaram a cantar, a brincar. Sempre na paz”, diz o comerciante.

Adaptações

A Copa fez com que Silva mantivesse o bar aberto mesmo em um feriado como o desta quinta. Ele, porém, criou uma escala para que pelo menos uma parte de seus funcionários possam folgar como estão acostumados. “Estou com meia equipe hoje e terei meia equipe no domingo. Por isso estou com um cardápio mais enxuto, para não complicar na cozinha”.

Os pratos que fizeram o lugar famoso, porém, estavam lá. E descritos também em inglês, para facilitar a vida da clientela que apareceu nos últimos dias. “O meu pessoal não fala outro idioma, eu me arrisco um pouco. Mas quando eles não entendem, pedem o cheeseburger mesmo, que sabem o que é”, brinca.

Incidente

A polícia militar de São Paulo deteve quinze pessoas com rojões e armas brancas na região da Fan Fest nesta quinta. Eles foram pegos depois de atirarem bombas nos torcedores ingleses que confraternizavam no local. Ninguém ficou ferido. Segundo o tenente Alexandre Martins, do 2º Batalhão da Copa, os detidos foram levados para depor em uma delegacia nas proximidades. Ele disse que não estava clara a motivação do ato, mas descartou ligação com manifestantes de movimentos sociais ou grupos black blocs.

Leonardo Lourenço, do Portal da Copa em São Paulo

Notícias Relacionadas

Visitantes gastaram US$ 6,9 bilhões no país. O resultado teve forte influência da Copa do Mundo
+
Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Principais emissores de turistas foram Argentina, Chile, Colômbia e Estados Unidos
+