Felipão defende jogadores, ressalta a organização e faz mistério sobre o futuro

12/07/2014 - 22:40
Para o técnico brasileiro, o gol sofrido no início da partida diante da Holanda complicou a partida

Foto: Getty Images#Em entrevista coletiva concedida após a derrota do Brasil por 3 x 0 diante da Holanda, o técnico Luiz Felipe Scolari fez um avaliação da Copa do Mundo no Brasil e do desempenho da Seleção. Felipão exaltou a qualidade do evento brasileiro e defendeu a performance de seus jogadores. “Acho que foi uma Copa excelente, com tudo aquilo que a gente gostaria de ver acontecer dentro do Brasil em relação às equipes e às pessoas que vieram nos visitar”, afirmou, sobre a organização do Mundial. “Sobre a equipe, nós, agora no final da competição, não fomos bem. Mas conseguimos uma classificação para a semifinal e não podemos deixar de elogiar os nossos jogadores e a forma como eles têm jogado, embora a gente tenha perdido também esse jogo”, disse.

Para o técnico, o gol sofrido logo no início da partida mudou o rumo do que deveria ter se passado em campo no duelo com a Holanda. “A impressão era que era para ser um jogo muito equilibrado, mas tomamos um gol no primeiro minuto e as coisas foram sendo mais benéficas à Holanda do que para nós. Mas não jogamos, mal na minha opinião, e acho que os jogadores merecem, sim, que sejam valorizados pelo que fizeram”, avaliou Scolari, que disse não saber qual será seu futuro.

“Quem tem que decidir é o presidente (da CBF). Como a gente já tinha combinado, no encerramento da competição nós entregaríamos o cargo à direção porque era o combinado, ganhando, perdendo, classificando ou não classificando. É o que vamos fazer: terminar o nosso relatório, entregar o cargo ao presidente e ele tem a capacidade e a qualidade de fazer a análise que deve fazer.”

Indagado se achava que ficaria mais marcado pela conquista do título mundial de 2002 ou pela goleada por 7 x 1, Felipão respondeu: “São três Copas do Mundo que disputei, duas pelo Brasil e uma por Portugal. E nas três cheguei entre os quatro melhores. Uma vez eu ganhei e duas vezes perdi. Portanto, não tenho uma situação que possa ficar lamentando a minha vida toda porque o futebol, muitas vezes, em um minuto de jogo, em uma situação qualquer que inverte uma jogada, isso pode mudar o resultado de um jogo e mudar uma classificação”, analisou.

“O resultado de 7 x 1 já falamos reiteradas vezes que foi o pior da história, eu sei disso. Mas também tenho que ver o lado positivo. Em 2006 nós não chegamos entre os quatro, em 2010 não chegamos entre os quatro e em 2014 chegamos. Então eu vejo o lado positivo”, encerrou o treinador, que recebeu, durante a coletiva, um abraço de Neymar, que esteve no jogo para acompanhar, do banco de reservas, o desempenho da equipe no Estádio Nacional Mané Garrincha.

Estádio Nacional Mané Garrincha - Brasil x Holanda - Jogo

Estádio Nacional Mané Garrincha - Brasil x Holanda - Jogo

Luiz Roberto Magalhães, do Portal da Copa em Brasília

Notícias Relacionadas

Coordenador geral de seleções, Gilmar Rinaldi, confirmou que o Brasil será comandado pelo treinador da equipe de base, Alexandre Gallo, nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Novos membros da comissão técnica serão anunciados em breve
+
No total, mais de 3,05 milhões de pessoas se movimentaram pelo país durante o evento
+
Brasil e Argentina se enfrentarão no Estádio Ninho do Pássaro, na capital chinesa
+
Tetracampeonato na Copa do Mundo de 2014 garantiu o primeiro lugar da lista para os germânicos pela primeira vez em 20 anos
+