Fornecimento de energia será reforçado em Brasília para os megaeventos esportivos

01/11/2012 - 14:43
Previsão é de que a nova subestação construída próximo ao Estádio Nacional seja entregue em abril de 2013

A área central de Brasília ganhará reforço no sistema de fornecimento de energia. Dentro dos preparativos da capital para sediar a abertura da Copa das Confederações FIFA 2013 e os sete jogos da Copa do Mundo da FIFA 2014, uma nova subestação, construída nos arredores do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, garantirá não apenas a energia necessária para a realização dos eventos, como também fortalecerá o fornecimento de energia de toda a região central da cidade.

A obra da subestação está 30% pronta e custará cerca de R$ 19 milhões. A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), proprietária do estádio, é a financiadora dos equipamentos que estão sendo trazidos da Coréia do Sul e da Alemanha.

Dos 30 cabos de distribuição de energia, apenas dois serão suficientes para abastecer o estádio. Os outros 28 cabos da nova subestação servirão para fortalecer a região que engloba outros setores de Brasília.

Também está em andamento a construção de uma subestação próximo ao Aeroporto JK (SE Hípica). Atualmente, o aeroporto é alimentado pela subestação do Núcleo Bandeirante, que está sobrecarregada.

O Estádio Nacional terá dois pontos de alimentação – SE Brasília Centro, localizada na Esplanada, e a SE Sudoeste – e duas fontes de energia – Sistema Interligado Nacional (SIN) e Corumbá III e IV –, além de gerador e energia solar.

Fonte: Agência Brasília

 

Notícias Relacionadas

Irmãos Alan e Lula Marques registram as obras, o trabalho dos operários e o ambiente dos primeiros jogos disputados na arena de Brasília
+
Instalada em um bar da capital federal, A Casa Azul reunirá comunidade da França antes, durante e após o jogo desta segunda, contra a Nigéria, no Mané Garrincha
+
Sheila Rodrigues e Tainara Silva foram indicadas pelos pais, que vão trabalhar durante a partida Brasil x Camarões
+
Brasileiros que não vivem na capital compraram 29% dos ingressos para o jogo, segundo a FIFA
+