Fun Zone é atração para torcedores no Aeroporto de Congonhas

11/06/2014 - 16:50
Espaço reúne mesas de pebolim, futebol de botão, videogame e conexão gratuita à internet

Foto: Infraero#O espaço ainda não foi tomado pela legião de fãs de futebol, mas foi inaugurada no aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo) a Fun Zone, espaço destinado aos torcedores que estiverem no local esperando conexão de voos ou quiserem passar o tempo.

Com 750 metros quadrados, a Fun Zone fica próxima ao estacionamento e conta com mesas de pebolim (ou totó, conforme a preferência) e futebol de botão, videogame, locais de descanso e conexão gratuita à internet. Haverá ainda informações turísticas de cada cidade, em português e inglês, em totens touch screen, caixas eletrônicos para saques em reais, painéis das principais companhias aéreas para check-in e painel com informações de embarque e desembarque do aeroporto.

Há ainda telões para os torcedores acompanharem os jogos da Copa, com a presença de DJs para animar a festa antes e depois das partidas. O espaço ficará aberto 24 horas durante o Mundial nos aeroportos administrados pela Infraero, que teve parceria com a Caixa Econômica Federal na iniciativa.

“A experiência que tivemos durante a visita do papa aos jovens [durante a Jornada Mundial da Juventude, em 2013] foi muito positiva. Por isso, reeditamos esse espaço para a Copa. Aqui é um local agradável e seguro para o torcedor passar o tempo”, afirmou o ministro Moreira Franco, da Aviação Civil, durante o lançamento oficial da Fun Zone.

Segundo os organizadores, cerca de mil pessoas passaram pelo local durante o primeiro dia de funcionamento, incluindo um grupo de bolivianos que aproveitou a área de descanso para dormir ali.

Investimento 

As opções disponíveis foram aprovadas pelos torcedores, que ainda estavam em pequeno número na manhã de quarta-feira. “Aqui é confortável, com bom espaço para descanso e a facilidade de conseguir se comunicar com a família pela internet, o que para nós é importante”, afirmou o engenheiro Hernán Quezada, que chegou do Chile em um grupo de quatro amigos, que aproveitou o tempo livre para jogar algumas partidas de pebolim. “Gostaria que o Brasil mantivesse esse espaço depois da Copa, porque acho que os benefícios para os turistas são maiores do que o investimento”, acrescentou.

O grupo segue para Cuiabá, onde irá acompanhar a estreia da seleção chilena, contra a Austrália, na sexta-feira, na Arena Pantanal. “Acredito que estamos com uma equipe mais madura em relação à que foi à Copa de 2010 [na África do Sul]. Além disso, temos jogadores que são destaques em grandes times europeus, como Arturo Vidal [da Juventus, da Itália] e Alexi Sánchez [do Barcelona]”, afirmou Quezada, esperançoso com uma vaga nas oitavas-de-final, mesmo tendo caído no mesmo grupo B, ao lado dos finalistas da última Copa.

“A Espanha está decadente, o Chile empatou com eles em amistoso [2 x 2, no ano passado]. Já a Holanda trocou jogadores e está com um time menos experiente”, analisou ele, ansioso para encontrar outros três amigos que viajaram na caravana de cerca de 800 veículos e cerca de 4 mil torcedores que deixou o Chile por via terrestre.  “Chile e Colômbia serão as duas maiores torcidas estrangeira no Brasil”, aposta.

Adalberto Leister Filho, do Portal da Copa em São Paulo (SP)

Notícias Relacionadas

Terminais que tiveram obras entregues foram os melhores avaliados em levantamento realizado entre abril e junho
+
Empresa transmitiu 166 terabytes de dados no anel óptico interligando as 12 arenas da Copa ao IBC da FIFA no Rio de Janeiro
+
Governo do DF divulgou balanço de ações para a Copa do Mundo. Investimentos em segurança, turismo, mobilidade urbana e aeroporto ficam para a cidade
+
Ministro das Comunicações destaca infraestrutura que possibilitou a transmissão de 166 terabytes de informação. Balanço também é positivo nas áreas de energia e mobilidade urbana
+