Fun Zones já receberam mais de 300 mil passageiros em 12 aeroportos da Copa

10/07/2014 - 17:37
Espaços oferecem entretenimento, local para descanso, informações turísticas, internet wifi e outras comodidades para os viajantes. No Santos Dumont, 26,8 mil pessoas aproveitaram a estrutura oferecida

Fotos: Gabriel Fialho/ Portal da Copa#

A espera entre um voo e outro se tornou uma diversão, principalmente para as crianças, em 12 aeroportos brasileiros. As chamadas Fun Zones, instaladas nos terminais de dez cidades-sede da Copa do Mundo e que ficarão abertas até o dia 20 de julho, atraíram a atenção de mais de 300 mil passageiros que aproveitaram a estrutura oferecida nestes locais. Futebol de botão, videogame, mesa de pebolim, TV transmitindo ao vivo os jogos do torneio, música ambiente, sofás, almofadas, máquinas com café grátis e para venda de bebidas e comidas, internet wifi, tomadas e sala com computador são algumas das comodidades para os viajantes.

O casal Fernanda Peixoto e Ornelo Machado Neto aproveitou para descansar e distrair os dois filhos durante a espera de quatro horas na escala que tiveram que fazer no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. “É excelente para as crianças e podemos dar uma relaxada. O tempo passa mais rápido e essa foi uma ótima opção. Eu mesmo já joguei videogame e usei o wifi”, relata Neto, que é professor de educação física, assim como a esposa.

#O casal Fernanda e Ornelo, além da mãe de dois filhos, Juliana Brandão, aproveitam conforto da Fun Zone para cuidar das crianças

A área de 200 metros quadrados do terminal carioca já recebeu 26,8 mil pessoas desde o início da Copa do Mundo. O local fica aberto das 6h às 22h30. Para o estudante Eduardo Lessa, que esperava para embarcar para Vitória (ES), a iniciativa deveria continuar após o Mundial. “Achei o espaço muito bom, com música ambiente, local para deitar, tomada, jogos para as crianças... a gente pode descansar e distrair um pouco enquanto espera. Acho que deveria permanecer mesmo depois da Copa, porque valoriza o passageiro, dá mais conforto”.

Opinião compartilhada pela servidora pública Juliana Brandão. Com um filho pequeno e uma filha de colo, ela desembarcou às 8h no aeroporto do Galeão, também no Rio de Janeiro, para pegar o voo para Brasília, no Santos Dumont, às 17h. “Com todo esse tempo a gente tem que entreter as crianças e um espaço como esse facilita muito, além de ser confortável. Meu filho já interagiu, ganhou camisa, então, fica mais fácil cuidar deles”.

Quem aproveitou foi o estudante do sétimo ano, João Pedro Correia. “É legal, a gente não precisa pagar e se diverte”. Ele disputou uma partida no videogame entre Brasil e Alemanha. “Perdi com o Brasil nos pênaltis, por 4 x 3. Se tivesse sido assim na realidade...”, lamenta.

Informação e amizade

#Luiz Philipe destaca a oportunidade de fazer amizades e conhecer novas culturasA diversão também está garantida para quem trabalha nas Fun Zones. Luiz Philipe Oliveira atende no Santos Dumont e conta que fez amizades com vários turistas. Alguns deles, já fazem parte da sua lista do Facebook (rede social). Ele elogia a receptividade dos estrangeiros. “Conheci um inglês, Josh, que estava no Brasil para ver uns jogos. Ele me perguntou sobre as trilhas na floresta da Tijuca. Como estou acostumado a fazer trilhas lá, pelo menos uma vez por mês, expliquei alguns macetes, que era legal subir com pelo menos uma caixa de barra de cereal, quatro litros de água. Daí, ele me adicionou no Facebook e disse que quando eu fosse para a Inglaterra que entrasse em contato. Acabamos sendo bem hospitaleiros e como eles são receptivos a isso, então, temos uma troca muito boa”.

A procura dos turistas, geralmente, é por um lugar para descansar e pela internet wifi, mas há diversas demandas, como a busca por ingressos para as partidas. “Quando os torcedores não têm ingressos, disponibilizamos o computador com um tempo limite de 20 minutos. Ajudamos a buscar a página da FIFA e eles vão na bancada aqui no aeroporto e retiram os ingressos. Também damos algumas dicas para que eles não sejam enganados pelos taxistas, indicamos os hostels mais confiáveis”, exemplifica Luiz Philipe.

Além das amizades, o atendente conta que pôde conhecer um pouco sobre outras culturas. “O que me fascina são as novas culturas, você tem boas surpresas. As pessoas te enriquecem”, afirma, para acrescentar um caso em que ele transmitiu um pouco da cultura brasileira também. “Jogo muito futebol de botão e muita gente não sabe como é. Eles acham que é como aquele jogo de disco, então empurram os botões com o goleiro. Aí mostro como é o jogo, que com a paleta se empurra o botão e as regras. Só teve um português que conhecia o jogo”.

Nos dias de partidas da Seleção Brasileira, Luiz Philipe diz que o local costuma ficar cheio, com os torcedores cantando o hino e comemorando os gols. Segundo ele, colombianos, chilenos e argentinos são os maiores frequentadores estrangeiros da Fun Zone.

Além do Santos Dumont, no Rio de Janeiro o aeroporto internacional do Galeão também conta com uma Fun Zone - com 700 metros quadrados e que fica aberta 24 horas por dia. Os outros terminais do país com locais semelhantes são os de Belo Horizonte (Pampulha e Confins), Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo (Congonhas).

Gabriel Fialho - Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+