Gastos de turistas estrangeiros no Brasil cresceram 76% em junho, mês em que a Copa teve início

25/07/2014 - 17:44
Entrada de divisas alcançou 797 milhões de dólares, novo recorde mensal desde que o Banco Central começou a calcular essa informação, em 1948

Os gastos de turistas estrangeiros no Brasil em junho, quando começou a Copa do Mundo, registraram um crescimento de 75,93% na comparação com o mesmo mês de 2013. Com US$ 797 milhões (aproximadamente R$ 1,8 bilhão), a entrada de divisas é um novo recorde mensal desde que o Banco Central começou a calcular essa informação, em 1948. Somando o dado parcial de gastos dos primeiros 23 dias de julho (US$ 609 milhões), o valor chega a US$ 1,4 bilhão.

"Esses dados mostram a importância do turismo para a economia brasileira. Mais de 1 milhão de visitantes estiveram no Brasil durante o Mundial, o que contribuiu para gerar empregos e aumentar a exposição internacional do país", afirmou Vicente Neto, presidente da Embratur (Instituto Brasileiro do Turismo).

A entrada de divisas estrangeiras de janeiro a junho somou US$ 3,479 bilhões, o que representa 54,36% dos gastos realizados em todo o ano passado, quando atingiram US$ 6,709 bilhões. Na comparação com o primeiro semestre do ano passado, houve um aumento de 4,82% nos gastos de estrangeiros em viagem ao país.

"Esperamos que a exposição obtida pelo Brasil durante a Copa, quando a audiência dos jogos superou 3,6 bilhões de pessoas em todo o planeta, ajude a impulsionar a vinda de estrangeiros para o país", disse Neto. De acordo com pesquisa do Ministério do Turismo, 95% dos estrangeiros que visitaram o país durante o evento informaram que pretende voltar ao Brasil.

Fonte: Embratur

Notícias Relacionadas

Visitantes gastaram US$ 6,9 bilhões no país. O resultado teve forte influência da Copa do Mundo
+
Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+