Jogadores do Brasil agradecem a torcida e já planejam repetir conquista em 2014

30/06/2013 - 22:08
Para David Luiz, união do grupo foi fundamental para o título da Copa das Confederações. Julio César diz que sua história na seleção ainda tem um "capítulo aberto"

Eleito o melhor jogador da Copa das Confederações, Neymar não escondeu a felicidade após a vitória do Brasil sobre a Espanha, por 3 x 0, neste domingo, no Maracanã. O camisa 10 da Seleção qualificou o troféu de campeão como “um sonho”. “Sonho que para muitos era impossível, mas nada é impossível. Para os homens pode ser, mas para Deus nada é impossível. Está todo mundo de parabéns, todos jogaram bem hoje. A gente está fazendo muita gente feliz”, disse após a partida.

Neymar também fez questão de agradecer não apenas seus familiares, mas toda a torcida brasileira. “(O título) é algo que a gente almejou desde a primeira convocação e fechamos com chave de ouro. (Vencemos) Uma equipe que é a melhor do mundo, com jogadores rodados, então a gente fica feliz”, disse.

Foto: Danilo Borges/Portal da Copa#

Para o goleiro Julio César, eleito o melhor do torneio em sua posição, o título da Copa das Confederações é mais uma etapa do caminho rumo ao grande objetivo de todos: a Copa do Mundo de 2014. “A minha página na Seleção ainda não fechou. Tem um capítulo aberto. É claro que ainda tem muita coisa para acontecer, um ano para a Copa do Mundo, mas estou muito feliz. Os estádios maravilhosos, a torcida nos apoiando, os jogadores focados, foi tudo perfeito”, disse o camisa 12.

Julio também aproveitou para frisar que a vitória prova que o Brasil não deve nada à Espanha. “Com todo respeito, mas futebol tem uma hierarquia, e o Brasil é cinco vezes campeão do mundo. Eu sei que eles respeitam, e não tiveram a oportunidade de jogar contra o Brasil em outras competições. Agora eles sabem que jogar contra o Brasil não é fácil. Acho que o trabalho foi bem realizado. Nós jogadores estamos muito cansados, fomos espremidos até a ultima gota, e agora é festejar”, desabafou.

Premiação - Final da Copa das Confederações - 30.06.2013

Premiação - Final da Copa das Confederações - 30.06.2013

Para o zagueiro David Luiz, a união entre os jogadores foi fundamental para a conquista do título. “Esse país ama futebol e desde o começo a gente entendeu o que tinha na mão. A gente se uniu, temos um grupo muito consciente. Ainda não ganhamos nada. Ganhamos hoje um título importante, mas queremos a Copa do Mundo. A gente tem humildade, queremos crescer ainda mais, mas a gente tem muita paixão pelo que faz”, disse.

O defensor chegou a quebrar o nariz durante um jogo do torneio, mas se recuperou para atuar nas partidas decisivas. “Já tenho a cirurgia marcada para a próxima quarta-feira para ajeitar tudo. Mas é uma grande oportunidade e privilégio vestir essa camisa e disputar uma final. O que eu tiver que fazer  eu vou fazer pelo meu povo”, completou.

Um dos artilheiros do torneio, com cinco gols, o atacante Fred exaltou o grupo formado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. ”Nossa equipe trabalha muito e tem muito valor. Internamente, estava todo mundo bem ciente de que íamos para cima, íamos agredir, e tínhamos total condição de conquistar esse título. Foi muito mais que merecido”, disse.

Brasil x Espanha - 30.06 - O jogo

Brasil x Espanha - 30.06 - O jogo

Capitão espanhol

O goleiro espanhol Iker Casillas considerou a vitória brasileira justa, mas lamentou os erros da Espanha em jogadas cruciais, como o pênalti que Sergio Ramos desperdiçou e o chute de Pedro que David Luiz salvou em cima da linha. Para ele, o Brasil foi fatal. “Houve três jogadas pontuais que decidiram. Não há muito o que falar. Tivemos chances e desperdiçamos. Acho que o Brasil foi um campeão justo. O Brasil soube jogar muito bem, temos que dar os parabéns”, disse.

Na opinião do goleiro, a derrota dará mais experiência ao time espanhol. “Estamos doloridos por não conseguir a Copa das Confederações. Vai acontecer de a Espanha provar o sabor amargo da derrota, faz parte. Isso dá experiência”, afirmou.

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+