Jogadores argentinos demonstram orgulho por levar a seleção a uma final de Copa após 24 anos

09/07/2014 - 23:36
Para os atletas, o jogo contra a Alemanha será o mais importante de suas vidas. Técnico Alejandro Sabella agradeceu o apoio dos torcedores que estão acompanhando a seleção pelo Brasil

Muitos deles eram tão pequenos que nem se lembram. Foi em 1990 que a Argentina disputou sua última final de Copa do Mundo, quando perdeu para a Alemanha por 1 x 0. Foram longos 24 anos de jejum, quebrado por uma geração que já está orgulhosa muito antes do apito inicial da partida contra a mesma Alemanha no dia 13 de julho no Maracanã.

“Foram muitos anos, mas chegou. Estamos diante dos olhos do mundo, nossa bandeira vai voltar a brilhar numa final de Mundial e isso não é pouco. Que possamos coroar essa trajetória no domingo, mas ninguém vai nos tirar isso: levamos a Argentina para uma final de Copa outra vez”, disse o volante Javier Mascherano.

Elogiado pela imprensa mundial pelas ótimas atuações na Copa, especialmente nesta quarta contra a Holanda, ele disse que a final será o jogo mais importante da carreira dele e de seus companheiros de seleção. “Estou feliz e orgulhoso de fazer parte deste grupo. Lutamos, vivemos este mundial intensamente e acho que merecemos. Jogamos uma partida taticamente perfeita e minimizamos as virtudes da Holanda”, disse.

Semifinal - Holanda x Argentina - Arena Corinthians

Semifinal - Holanda x Argentina - Arena Corinthians

Desgaste

A vitória sobre a Holanda veio na disputa de pênaltis, o que levou a um intenso desgaste físico dos jogadores. E a equipe terá menos tempo para a recuperação, já que a semifinal que classificou a Alemanha foi realizada na terça-feira.

“Chegaremos com um dia a menos de descanso, mas com trabalho, humildade e seriedade faremos o possível para atingir o nível máximo”, disse o técnico argentino Alejandro Sabella. “Jogar contra a Alemanha é sempre dificílimo, e o jogo deles contra o Brasil já estava definido nos primeiros 45 minutos, eles puderam guardar energias no segundo tempo. Nós não guardamos nada”, acrescentou.

Sabella disse que está muito satisfeito com a classificação, especialmente por estar à frente de “um grupo de jogadores extraordinários”. Ele também agradeceu o apoio dos torcedores que estão seguindo a equipe por todo o Brasil.

Para o atacante Rodrigo Palacio, a satisfação de estar em uma final de Copa é mais importante que qualquer desgaste. “Não estamos cansados. Estamos felizes, não pensamos nisso.Teremos um rival muito forte, que está muito motivado, mas temos uma vontade em dobro e queremos fazer o jogo de nossas vidas”, disse.

Carol Delmazo – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Aeroportos, segurança pública e atrativos turísticos têm mais de 80% de aprovação entre os profissionais de imprensa
+
Ao todo, 1,6 milhão de passageiros passaram pelos terminais entre 10/6 e 13/7. A cada 10 passageiros que desembarcaram no país, um passou pela capital
+