Mano explica conceito do mix entre experiência e juventude na equipe olímpica

13/07/2012 - 17:44
Treinador tenta dosar a velocidade natural das categorias de base com a cadência dos mais experientes

No fim da atividade da tarde desta sexta-feira (13.07), no Rio de Janeiro, o técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, concedeu entrevista à equipe de vídeo da CBF na internet. Na conversa, o treinador explicou que vem realizando testes para adaptar a equipe às situações que potencialmente vão encontrar nos Jogos Olímpicos de Londres.

A Seleção estreia na fase de grupos no dia 26, contra o Egito. Depois, encara a Bielorrúsia e a Nova Zelândia. "A ideia é capacitar o grupo para conseguir reagir e ter soluções em campo em cima do que vamos encontrar", afirmou o treinador.

Segundo Mano, uma das tarefas nessa fase é conseguir dosar a velocidade natural das categorias de base com a experiência dos jogadores com mais de 23 anos, casos do zagueiro Thiago Silva, do lateral esquerdo Marcelo e do atacante Hulk. "É uma competição que exige qualidade técnica, comprometimento, variação. O ritmo é naturalmente mais intenso em função da velocidade dos atletas mais jovens, e é exatamente essa a contribuição dos mais experientes. Evitar uma aceleração excessiva", explicou o treinador.

Para ele, um dos pontos positivos dessa fase de preparação é conseguir fazer com que os atletas se tornem mais próximos, mais amigos e menos dependentes de "salvadores". "É assim que eu vejo o futebol. Para vencer, é preciso deixar a vaidade de lado. Um ajudar o outro. Dentro de um coletivo forte, sobressai a individualidade", disse.

No fim de semana, estão previstos trabalhos técnicos, táticos e atividades de musculação, antes da saída do grupo do Brasil, prevista para segunda-feira. "Estamos trabalhando muito para que o torcedor tenha prazer em ver essa seleção jogar", concluiu.

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

As duas equipes se enfrentarão em Singapura. Este será o quarto jogo do Brasil neste segundo semestre
+
Taffarel será o preparador de goleiros, enquanto Mauro Silva ocupará o cargo de assistente técnico, criado para ser rotativo. Andrey Lopes será o auxiliar
+
Coordenador geral de seleções, Gilmar Rinaldi, confirmou que o Brasil será comandado pelo treinador da equipe de base, Alexandre Gallo, nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Novos membros da comissão técnica serão anunciados em breve
+
“Eu e o Tetra – Lembranças de 1994” conta com depoimentos de ex-jogadores como Romário e Raí e do técnico Parreira
+