Mercado Central de Belo Horizonte comemora 30% no aumento de clientes durante a Copa

05/07/2014 - 09:41
Cinquenta mil estrangeiros já conheceram o espaço que conta com mais de 400 estabelecimentos

Foto: Fabrício Faria/Portal da Copa#Roberto Campos (C) nunca tinha visto um movimento tão grande na lojaA Copa do Mundo no Brasil ainda nem acabou, mas o Mercado Central de Belo Horizonte já comemora os resultados do mês de junho. Em 2013, o mercado já havia obtido bons números durante a Copa das Confederações e neste ano investiu R$ 250 mil na preparação dos mais de 400 estabelecimentos comerciais, instalação de pontos de tradução de idiomas e curso de inglês para funcionários. Tudo isso para receber os turistas durante a Copa do Mundo. A expectativa era que o trabalho proporcionasse um aumento de 15% no movimento, mas o mês fechou com um resultado ainda melhor.

José Agostinho Quadros, presidente do mercado central, explica que os dias de jogos no Mineirão foram os que mais atraíram turistas. “Principalmente no dia do jogo da Colômbia contra a Grécia, aqui só tinha colombiano”. Quadros disse que o mercado já conta com um número muito grande de turistas durante todo o ano, mas que durante a Copa o movimento foi surpreendente. O local recebe, em dias normais, um volume de 1,3 milhão de clientes por mês. Em junho o movimento sofreu um incremento de 400 mil, sendo 50 mil estrangeiros, resultando num aumento superior a 30%, o dobro do esperado antes da Copa. “Todos os comércios foram beneficiados com esse aumento de movimento, mas a maior procura foi na parte de gastronomia e souvenir”, explicou o presidente.

O pão de queijo foi o produto mais pedido no Café dois Irmãos. A proprietária, Izabella Castro, ainda não fez as contas do aumento no consumo, mas disse que os turistas já chegam perguntando se tem pão de queijo de Minas. “O interessante é que eles fazem questão do pão de queijo redondo. Já ofereci o formato de palito, que tem a mesma receita, mas eles não aceitam porque acham que não é o verdadeiro”, explicou Izabella. Outro produto muito procurado é o pó de café que, segundo a proprietária, os turistas compram para levar de presente.

Na loja de “souvenir” do Roberto Campos, a procura por produtos foi variada. Chaveiro, camisa, copo, imã de geladeira, bolsa, bandeira e boné foram vendidos aos montes. Há sete anos no Mercado Central, Roberto Campos disse que nunca tinha visto um movimento tão grande na loja. “Eu consegui um aumento de 60% aqui nas minhas vendas, e espero que melhore ainda mais”, comemorou o comerciante. A expectativa de melhora faz sentido, já que Belo Horizonte será sede de uma semifinal da Copa do Mundo, na próxima terça-feira, 8.10. 

O Mercado central está aberto de segunda a sábado, das 7h às 18h e aos domingos e feriados, das 7h às 13h. Quem preferir fazer um passeio didático, pode contar com a visita guiada, disponível para brasileiros e estrangeiros, o agendamento é feito pelo site www.mercadocentral.com.br.

Fabrício Faria, do Portal da Copa em Belo Horizonte.

Notícias Relacionadas

Visitantes gastaram US$ 6,9 bilhões no país. O resultado teve forte influência da Copa do Mundo
+
Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+