Moradores de Colômbia (SP) comemoram classificação do Brasil com buzinaço

04/07/2014 - 21:45
Cidade paulista ignora ligação com país que inspirou seu batismo e celebra passagem da Seleção para a semifinal da Copa

Leonardo Lourenço/ Portal da Copa

Faltavam cerca de 30 minutos para começar a partida entre Brasil e Colômbia, nesta sexta-feira (04.07), e as televisões mostravam as multidões que tomavam as Fan Fest espalhadas pelo país. Em Colômbia, cidadezinha no norte de São Paulo, porém, boa parte dos quiosques da praça da Igreja Matriz, onde se que reúnem os torcedores locais nos dias de jogos da Seleção, sequer estava com as portas abertas.

O ritmo é outro na cidade de pouco mais de 6.000 habitantes, “xará” do rival brasileiro no duelo das quartas de final da Copa do Mundo. Não há pressa e nem é preciso se planejar para sair cedo de casa para ver futebol com os amigos. Basta atravessar uma ou duas ruas para encontrá-los. Mesmo assim, alguns chegaram quando a bola já rolava em Fortaleza a uns bons minutos – por opção mesmo, não se pode culpar o trânsito por ali.

Aos poucos a praça foi ganhando vida. Não eram muitos, alguns chegavam em silêncio, outros assoprando uma corneta. A maioria se concentrou no quiosque Villa Chopp, o único com telão. Os que vestiam camisas de futebol vestiam a do Brasil, ninguém ousou colocar o uniforme colombiano, apesar do nome da cidade em que moram.

Às 17h06 o sossego de Colômbia foi interrompido de vez quando alguns rojões explodiram nas redondezas. Não eram tantos, mas provavelmente fizeram o local, pelos menos naqueles instantes, um tanto mais barulhento do que Bogotá, a metrópole colombiana, que deve ter se afundado em silêncio quando o zagueiro Thiago Silva completou para o gol escanteio cobrado por Neymar.

O Brasil controlava o jogo sem correr riscos. O tento de David Luiz no segundo tempo foi comemorado de forma protocolar pelos colombienses, como se a peleja já estivesse definida desde o 1 a 0. O pênalti convertido por James Rodríguez, já perto do fim da partida, gerou uma certa tensão, logo encerrada junto com o confronto.

Colombienses, então, celebraram a queda dos colombianos. “Eu não sinto nenhuma dorzinha no peito”, afirmou a estudante Pâmela da Silva Oliveira, 24. “Provamos que a Colômbia boa é a do Brasil”, brincou. “Não estou nem aí com a Colômbia, o jogo foi bom demais. E que venha a Alemanha, vamos ganhar de 4 a 0”, profetizou o lavrador Mateus Gualberto dos Santos, 32.

Com a classificação do time de Luis Felipe Scolari garantida, os moradores iniciaram um buzinaço ao redor da praça que é o centro da cidade. No fim, a Colômbia que comemorou nesta sexta-feira, felizmente, foi que se esconde no interior do Brasil.

Leonardo Lourenço, do Portal da Copa em Colômbia (SP)

Notícias Relacionadas

Brasil enfrentará a Colômbia em 5 de setembro e o Equador no dia 9. Os jogos serão nos Estados Unidos
+
Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
O artilheiro do Mundial com seis gols ainda alcançou a terceira posição com o tento anotado contra o Japão, em enquete promovida pela FIFA
+