Nos pênaltis, Argentina elimina a Holanda e goleiro Romero vira herói

09/07/2014 - 20:04
No dia da independência do país, sul-americanos comemoram volta à final após 24 anos

Foto: Getty Images#

A Argentina está na final da Copa do Mundo da FIFA 2014. No dia da independência do país, o goleiro Romero tornou-se o novo herói nacional. Após um jogo muito truncado, sem grandes oportunidades de gol, ele defendeu duas cobranças de pênalti da Holanda e foi o grande responsável por levar os sul-americanos para a decisão do Mundial após 24 anos de jejum.

Eleito o melhor jogador da partida, Romero levou ao delírio os argentinos na Arena Corinthians. A Copa disputada no país do futebol terá o arquirrival do Brasil com a chance de levantar a taça pela terceira vez na história. No total, 63.267 pessoas assistiram ao confronto desta quarta-feira (09.07), em São Paulo.

»“Ensinei Romero a pegar pênaltis e isso dói”, diz Van Gaal sobre o herói da classificação argentina

»Jogadores argentinos demonstram orgulho por levar a seleção a uma final de Copa após 24 anos

Primeiro tempo

Antes de a bola rolar na Arena Corinthians, holandeses e argentinos fizeram um minuto de silêncio em homenagem ao argentino Di Stéfano, que morreu na última segunda-feira (07.07). A Holanda voltou a escalar o time no 3-5-2, com três zagueiros e apostando no trio Sneijder, Robben e Van Persie. No meio, o volante De Jong começou jogando, recuperado de lesão.

A Argentina também escalou uma trinca ofensiva com o centroavante Higuaín, Lavezzi e Messi. Desde o começo da partida, a torcida brasileira – sem vestir o tradicional amarelo – jogou contra os argentinos, gritando “olé” para o toque de bola dos europeus e vaiando a posse dos sul-americanos.

Os primeiros minutos foram de marcação avançada da Holanda, forçando a Argentina a se livrar da bola. Com isso, os holandeses tinham mais posse de bola, mas a defesa argentina se mostrou bem postada. O primeiro chute a gol só veio aos 12, quando Sneijder aproveitou bola que sobrou na entrada da área, mas bateu para fora.

Dois minutos depois, a primeira grande chance da Argentina. Pérez sofreu falta na entrada da área e Messi bateu bem, mas o goleiro Cilessen segurou sem dar rebote. O jogo esfriou devido à postura dos dois times. Fechados na defesa, holandeses e argentinos esperavam um erro do adversário. As únicas tentativas de ataque eram feitas em lançamentos longos ou cruzamentos para a área, mas não houve mais nenhum lance de perigo real.

Segundo tempo

Foto: Getty Images#O técnico Louis Van Gaal mudou a Holanda no intervalo. O lateral direito Janmaat entrou no lugar do zagueiro Indi. Com isso, Kuyt foi jogar na ala esquerda e Blind foi recuado para a defesa. A substituição fez com que a seleção europeia tivesse mais a bola nos pés, mas a forte marcação argentina só permitia liberdade aos zagueiros para tocar de um lado para o outro.

Aos 12 minutos, Lavezzi escapou pela direita e fez bom cruzamento para Higuaín. Janmaat dividiu a bola com o atacante argentino e conseguiu afastar o perigo. Três minutos depois, Van Gaal mudou de novo. O volante Clasie entrou no lugar de De Jong, que era dúvida para a partida.

A Argentina teve sua melhor oportunidade de fazer o gol aos 29 do segundo tempo. Pérez chegou bem pela direita e cruzou na medida para Higuaín. O camisa 9 chegou batendo de primeira e mandou na rede pelo lado de fora. O técnico Sabella fez as duas primeiras substituições de uma vez aos 36. Saíram Pérez e Higuaín para as entradas de Palacio e Aguero.

Rojo arriscou de longe aos 38 minutos, mas Cillessen segurou sem grandes problemas. A Holanda teve sua melhor oportunidade aos 45. Sneijder deu passe de primeira para Robben. Ele invadiu a área, mas adiantou demais e Mascherano chegou de carrinho para cortar a finalização do camisa 11. O jogo terminou mesmo sem gols. Prorrogação na Arena Corinthians.

Prorrogação

Os holandeses seguiram com mais posse de bola que os argentinos, mas as chances de gol também continuaram escassas. Louis Van Gaal fez a última alteração logo nos primeiros minutos, tirando Van Persie e colocando Huntelaar no ataque. Aos 8, saiu o primeiro chute a gol. Robben carregou e bateu forte de esquerda, mas Romero defendeu sem dar rebote. Logo depois, os sul-americanos também fizeram a última troca. Saiu Lavezzi, entrou Maxi Rodríguez.

Com a equipe totalmente focada na defesa, a torcida argentina gritou o nome do craque Messi, até então bem discreto em campo. A equipe ensaiou uma reação, tentando atacar com bolas na área, mas não conseguiu chutar no gol de Cillessen.

No segundo tempo da prorrogação, os holandeses tentaram de novo de fora da área. De Virj avançou pelo meio e bateu forte, mas Romero só olhou a bola sair pela linha de fundo. A Argentina respondeu aos 9. Palacio recebeu bom passe na frente, mas tentou encobrir o goleiro holandês de cabeça e jogou nas mãos de Cillessen. Os sul-americanos se empolgaram. Messi fez jogada individual pela direita e cruzou para Maxi Rodríguez, que bateu mal, nas mãos do goleiro da Holanda.

Os europeus pressionaram nos últimos minutos, rondando a área adversária o tempo todo. Kuyt teve boa chance pegando cruzamento de Janmaat de primeira, mas a bola pegou na defesa e saiu. Os pênaltis decidiriam o segundo finalista da Copa no Brasil.

Pênaltis

A primeira cobrança foi do zagueiro Vlaar. Ele bateu no canto direito e Romero voou para defender. Messi abriu para a Argentina e com categoria deslocou Cillessen: 1 x 0 para os sul-americanos. Robben bateu firme no canto direito para empatar: 1 x 1. Garay encheu o pé na sequência, bola no alto do gol e 2 x 1 para os argentinos.

Camisa 10 da Holanda, Sneijder bateu no canto esquerdo e Romero saltou bem para defender mais uma vez. Aguero abriu 3 x 1 no placar e Kuyt descontou. Maxi Rodríguez teve a bola da classificação nos pés e bateu forte, a bola pegou em Cillessen e entrou. Argentina classificada para a final.

Semifinal - Holanda x Argentina - Arena Corinthians

Semifinal - Holanda x Argentina - Arena Corinthians

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Brasil e Argentina se enfrentarão no Estádio Ninho do Pássaro, na capital chinesa
+
Principais emissores de turistas foram Argentina, Chile, Colômbia e Estados Unidos
+