Paulistas vão da tensão à redenção no Vale do Anhangabaú

28/06/2014 - 18:19
Torcedores lotaram a Fan Fest e sofreram bastante durante a partida do Brasil contra o Chile

O espaço reservado para a Fan Fest, no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, ficou pequeno. Com capacidade para 25 mil pessoas, milhares de outras ficaram acompanhando o jogo entre Brasil x Chile fora do cercado de segurança protegido pela Polícia Militar.

Dentro do espaço reservado para a festa, o calor que chegou a 27ºC não desanimou os torcedores. Os chilenos, que chegaram a ter presença numerosa em São Paulo e invadiram a Fan Fest em outras oportunidades, praticamente desapareceram neste sábado. A empolgação era grande antes do jogo, e ninguém imaginava o que estava por vir.

“Vai dar 3 x 1, gols de David Luiz, Neymar e Daniel Alves”, previa Jeremias do Prado, 47, que chamava a atenção por sua fantasia colorida em verde e amarelo. “Dois a um. O Neymar vai fazer dois gols”, acreditava Israel de Jesus, o palhaço Sombra, que foi à festa com sua roupa de trabalho.

O clima de tensão e expectativa só deu lugar à redenção quando Jara chutou para as redes do Chile, após cobrança de escanteio, aos 18 minutos do primeiro tempo. David Luiz, que mal chegou a tocar na bola, foi creditado como autor do gol. A tensão voltou aos 31, com o empate de Alexis Sánchez, após bobeada da defesa brasileira na saída de bola.

Em tempos em que sósias da seleção ficaram famosos por acaso, eram as “cópias” de jogadores famosos que chamavam a atenção. Havia um Ronaldinho Gaúcho, que não foi convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari.

Mas quem mais chamava a atenção era um sósia do atacante Hulk, jogador que foi protagonista ontem de quase todos os lances decisivos. Foi Hulk quem sofreu um pênalti não marcado pelo árbitro Howard Webb. Foi dele a falha que deu origem ao gol de empate do Chile. Foi também Hulk quem marcou o gol de desempate, fazendo a torcida no Anhangabaú festejar muito, antes de entender que havia sido anulado pela arbitragem. Aguerrido, fez sua melhor partida na Copa do Mundo, partindo para cima da zaga chilena, mesmo quando seus colegas pareciam desanimados. Mas, como todo jogo do atacante é cercado de contradição, o atacante ainda desperdiçou uma das cobranças na decisão por pênaltis.

“Foi o melhor jogo dele. Mas ele também cometeu falhas terríveis”, lamentava Maurício Feitosa, o Hulk cover, que atendeu o pedido de vários torcedores para tirar fotos. “O pessoal me acha parecido com o ele Mas nunca trabalhei como sósia”, disse rindo.

Julio paga a dívida

Se o atacante falhou ao bater sua penalidade no meio do gol para defesa de Bravo, o goleiro brasileiro Júlio César aproveitou a situação para reconquistar parte da torcida que ainda estava na bronca com ele desde a eliminação na Copa de 2010, quando o Brasil perdeu para a Holanda nas quartas de final, e o arqueiro foi apontado o vilão.

“Está pago. Está bem pago”, repetiu o estudante Alex Medina. “Ele puxou a responsabilidade para ele, disse que estava nas mãos dele”, elogiou. “Esperava dificuldade, mas não no último pênalti. Cheguei a pensar que seríamos eliminados”.

A celebração pela vitória por 3 x 2 nos pênaltis, depois do empate em 1 x 1 que atravessou a prorrogação, criou uma nuvem de poeira na frente do palco da Fan Fest, tantos eram os pulos da torcida que acompanhava a partida. 

Do lado de fora, milhares que não conseguiram entrar no evento oficial comemoravam a classificação em frente aos bares. Até uma pequena bateria apareceu para animar a celebração, que terminou em samba de forma espontânea. Até alguns poucos chilenos, derrotados, aproveitaram o embalo.

“Tivemos muitas oportunidades, foi por muito pouco”, lamentou Belinda Rivera-Diaz. “Temos uma grande equipe, acho que teremos boas chances nas próximas competições”, completou o colega Marcos Antonio. “O Brasil não tem o que comemorar”, reagia um chileno, que nitidamente havia abusado do álcool, após a derrota. “Nos vemos na Copa América, no ano que vem, no Chile”, ameaçava. 

Adalberto Leister Filho e Leonardo Lourenço, do Portal da Copa em São Paulo (SP)

Notícias Relacionadas

No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Principais emissores de turistas foram Argentina, Chile, Colômbia e Estados Unidos
+