Percurso tranquilo de torcedores até a Arena Corinthians para Holanda x Chile

23/06/2014 - 14:42
O Expresso da Copa ligou a estação da Luz até a Corinthians-Itaquera nos prometidos 19 minutos

Apesar de não ser feriado em São Paulo, a segunda-feira de Chile x Holanda foi o dia mais tranquilo até aqui para chegar à Arena Corinthians. A Linha 3 - Vermelha viajava com baixa lotação, para quem está acostumado a pegar os carregados metrôs que ligam a zona leste de São Paulo. Já o Expresso da Copa viajava ainda mais vazio até o Itaquerão.

Dentro dos vagões, chilenos e holandeses viajavam em uma harmonia surpreendente para quem iria decidir a primeira posição do Grupo B da Copa do Mundo. Cercados por um grupo numeroso de chilenos no vagão do metrô, dois torcedores de camisa laranja ouviram apenas uma pequena provocação. Um dos “holandeses” se entregou: “Aqui é tudo Brasil, mano. Me dá uma camisa do Chile que eu boto”, devolveu o vira-casaca. Todos silenciaram, achando graça da confusão.

“Hoy es Chile”, falava um garotinho, com a camisa de Neymar, deixando satisfeito um casal de chilenos.

O Expresso da Copa ligava a estação da Luz até a Corinthians-Itaquera nos prometidos 19 minutos. Dentro, espaços vazios. “Nem parece jogo de Copa do Mundo”, comentava um brasileiro para a filha. Ao contrário dos outros jogos, havia poucos torcedores de última hora com cartazes pedindo ingressos.

Adalberto Leister Filho/Portal da Copa#

No vagão, um holandês todo pintado de laranja dividia espaço com um chileno enrolado na bandeira do país. “Os dois têm as mesmas cores”, afirmou Hector Ruiz, referindo-se às cores vermelha, branca e azul comuns a Chile e Holanda.

Na plataforma da estação, uma dupla fantasiada de vaca holandesa fazia sucesso. Muitos paravam os torcedores para tirar foto. “Vamos torcer para a Holanda. Tem muitas loiras bonitas”, contou Marcelo Rosa, uma das “vacas”, entregando de cara a nacionalidade.

Junto do amigo João Rosa, que não é parente (“Somos irmãos de úteros separados”), os dois assistiram à abertura da Copa, entre Brasil e Croácia, quando tiveram a ideia de aparecer fantasiados a partir do jogo seguinte. No duelo entre Inglaterra e Uruguai, eles foram trajados de guarda real britânica. Fizeram sucesso, mas uma repórter de uma emissora de TV se desinteressou pela dupla quando descobriu que ambos eram brasileiros. “A partir daí, a gente só falava inglês”, contou Marcelo, que apareceu em outra emissora como se fosse conterrâneo de Rooney e Gerrard.

Apesar da derrota da virada, os “ingleses de aluguel” não tiveram motivo para ficar deprimidos, pois fizeram sucesso com as mulheres. Para o jogo entre Holanda e Chile, a ideia era fazer alguma coisa que lembrasse o país de Robben e Van Persie. “Pensamos em vir vestidos de baseado, mas não iria aparecer na TV. Aí decidimos pela vaca holandesa”, diverte-se Marcelo.

Por Adalberto Leister Filho, do Portal da Copa em São Paulo

Notícias Relacionadas

Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Relatório da ANTT também aponta que a Argentina liderou os fretamentos internacionais no período
+
Principais emissores de turistas foram Argentina, Chile, Colômbia e Estados Unidos
+