Portugueses que vivem longe da pátria prestigiam a seleção em Brasília

25/06/2014 - 22:02
Torcedores elogiam a cidade e esperam um bom jogo contra Gana

Foto: Renato Freire/Portal da Copa#Não é preciso morar em Portugal para apoiar a seleção do país na Copa do Mundo da FIFA 2014. Tampouco ter nascido na terra de Camões. Nesta quinta-feira (25.06), contra Gana, torcedores que vivem longe da pátria e são filhos de portugueses estarão no Estádio Nacional Mané Garrincha. Eles elogiam a cidade e esperam que o time de Cristiano Ronaldo, que tem chances remotas de classificação para as oitavas de final, deixe ao menos uma boa impressão contra a equipe africana.

É o caso dos irmãos Alexandre e Eduardo Tomás. Os criadores de gado são filhos de portugueses, mas nasceram e vivem na Venezuela. Acompanham e torcem pelas seleções dos dois países e têm dupla nacionalidade. “Como a Venezuela não se classificou para a Copa, viemos apoiar Portugal”, explica Alexandre. A dupla deposita as esperanças de uma vitória nos pés de Cristiano Ronaldo. “Se jogar bem, a gente ganha. Se não jogar bem, a gente não ganha”, resume Eduardo.

Os irmãos estão no Brasil com dois amigos venezuelanos. Hospedaram-se em Taguatinga, região administrativa do Distrito Federal onde é realizada a FIFA Fan Fest. E gostaram do que viram na capital. “Aqui é tudo muito organizado. Viemos para cá de táxi (eles estavam no Brasília Shopping, a 22 km de Taguatinga), por exemplo, e o trânsito estava ótimo. Até agora, tudo certo”, conta Alexandre.

João e Jordan Feliciano (foto), pai e filho, também vivem em outro continente. O primeiro nasceu na Ilha de São Miguel, em Portugal. O segundo é de Toronto, no Canadá, onde ambos vivem atualmente. Eles também aprovaram Brasília. “A cidade é limpa e bem organizada. Além disso, as vias têm várias pistas, diferentemente de Toronto”, elogia Jordan. Ao contrário da outra dupla de portugueses, no entanto, os dois não são fãs de Cristiano Ronaldo. “Ele só joga bem nos clubes, mas nunca na seleção”, opina João.

Ganenses

Os torcedores de Gana também estão curtindo a Copa do Mundo. Agyei Kwane, que está acompanhando a seleção nos estádios desde o primeiro jogo, destaca a segurança nas cidades-sede onde esteve – Natal, Fortaleza e, agora, Brasília. “Há policiamento em todos os lugares. Antes de vir para o Brasil, tinham me falado para esconder relógio, carteira e até a aliança. Mas não vi necessidade de fazer isso em lugar nenhum”, conta.

O ganense, que veio ao Brasil com o compatriota Emmanuel Gbelema, também elogiou o trânsito de Brasília. Mas reclamou dos preços da capital federal e da necessidade de trocar o chip do celular a cada mudança de cidade.

Renato Freire, do Portal da Copa em Brasília

Notícias Relacionadas

No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Estrangeiros e brasileiros de outras partes do país visitam marcos arquitetônicos da capital federal
+
Profissionais federais e distritais trabalharão juntos em evento que terá 19 chefes de Estado
+