Profissionais do Paraná recebem treinamento para combate de ameaças durante a Copa

24/03/2014 - 19:15
São 115 representantes das secretarias municipais e estadual de saúde, do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal e hospitais de Curitiba que recebem curso de para combate de Ameaças Químicas, Biológicas, Radiológicas e Nucleares

O treinamento para combate de Ameaças Químicas, Biológicas, Radiológicas e Nucleares (QBRN) coordenado pelo Ministério da Saúde e pela Anvisa está sendo realizado em Curitiba. Durante os cinco dias de cursos, 115 representantes das secretarias municipais e estadual de saúde, do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal e hospitais da capital paranaense irão receber informações de como agir na prevenção e nos casos de acidentes envolvendo materiais desta natureza.

“Precisamos estar preparados e saber qual é o papel da saúde no caso de um ataque terrorista, por exemplo, ou um incidente biológico. Esse encontro dará subsídios aos nossos profissionais e gestores para que saibam sobre os problemas que podem ocorrer em eventos mundiais como a Copa. A partir dessa capacitação, os profissionais poderão avaliar como atender, da melhor maneira, as possíveis vítimas”, destacou Edson Teixeira, representante da Força Nacional do SUS.

“É fundamental que todos os nossos servidores estejam capacitados e preparados para os mais diversos tipos de atendimento. Precisamos atender com excelência não só os turistas, mas como os moradores de Curitiba”, afirmou o secretário municipal da saúde, Adriano Massuda.

Treinamento

No primeiro dia do treinamento, o capitão do exército Tadeu João Barradas falou sobre como identificar os efeitos fisiológicos de agentes químicos, de materiais tóxico-industriais, os principais antídotos, doses e concentrações além das medidas de proteção e descontaminação e um simulado para o atendimento desses casos.

Nos outros dias, serão abordados os cuidados com a biossegurança, princípios da proteção radiológica, efeitos biológicos das radiações ionizantes, acidente químicos, organização da atenção pré-hospitalar, respostas que o setor da saúde deve dar em casos de acidentes químicos, tratamento médico para vítimas intoxicadas.

“O treinamento é teórico com simulações de casos fictícios que revelam o papel de cada instituição”, contou Teixeira. Também participaram da abertura do treinamento Beatriz Monteiro, diretora de políticas de urgência da Secretaria Estadual da Saúde, Ilmar Carneiro Leão, diretor do departamento de Urgência e Emergência de Curitiba e Luiz Armando Erthal, diretor do Centro de Saúde Ambiental.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Notícias Relacionadas

Diretora da Unaids no Brasil se encontrou nesta terça com o ministro do Esporte, que assinou a bola que simboliza a iniciativa. Um exemplar com as rubricas da presidenta Dilma e de outros chefes de Estado será levado para a Assembleia Geral da ONU
+
Dados divulgados pelo Ministério da Saúde mostram que 97,3% dos casos ocorridos nas arenas foram resolvidos no próprio local
+
Espaços oferecem entretenimento, local para descanso, informações turísticas, internet wifi e outras comodidades para os viajantes. No Santos Dumont, 26,8 mil pessoas aproveitaram a estrutura oferecida
+
575 selecionados para programa Brasil Voluntário seguem atuando em pontos turísticos e de mobilidade até o fim da Copa
+