São Paulo recebe último Seminário de Preparação de Gramados para a Copa do Mundo

14/03/2014 - 19:12
Participaram representantes do COL e responsáveis por cuidados com gramados dos 12 estádios do Mundial, dos 32 CTS e dos 32 COTs

FIFA#O cuidado com o palco onde as estrelas do futebol mundial vão jogar daqui a três meses requer atenção especial. Por isso, a FIFA realizou o quarto e último Seminário de Preparação de Gramados para a Copa do Mundo, nesta quinta e sexta-feiras (13 e 14.03), em São Paulo.

Participaram representantes do Comitê Organizador Local (COL) e responsáveis pelos gramados dos 12 estádios que receberão jogos do torneio, dos 32 Campos de Treinamento de Seleções (CTS) e dos 32 Campos Oficiais de Treinamento (COT). Eles também tiveram aulas práticas no Estádio do Pacaembu.

No encerramento do encontro, o ex-jogador Cafu, campeão mundial pela Seleção Brasileira em 1994 e em 2002, destacou a importância de se ter campos em ótimas condições, tanto nos locais de treino, quanto de jogos. “É importantíssimo que o gramado do CTS tenha a mesma qualidade do gramado do estádio e se preparar em um local com as mesmas características de onde a partida vai acontecer”, disse.

“De nada adianta ter um ótimo departamento médico, excelentes equipamentos de recuperação, se o gramado é duro, com grama alta e cheio de buracos. Na prática, o resultado será ruim”, complementou o capitão do penta.

Oportunidade

Maceió é sede de um dos 32 CTS para a Copa do Mundo. O Centro de Treinamento Rei Pelé será a casa da seleção de Gana. E mesmo não recebendo jogos, a capital de Alagoas vê no Mundial uma excelente oportunidade.“Mesmo não sendo uma das 12 sedes da Copa do Mundo, percebemos que receber uma das seleções seria uma ótima oportunidade para Alagoas, mais especificamente para Maceió. Com a modernização que estamos fazendo no Rei Pelé, temos a chance de deixar um legado para o futebol alagoano. Além disso, teremos um ganho enorme de visibilidade”, analisou José Padrines, responsável pelo CT.

Importância e características

No primeiro dia do evento, equipes do COL, da Arena - empresa que presta serviços de consultoria em estádios e gramados ao COL -, além de profissionais da STRI - prestadora de serviço de consultoria em gramados à FIFA -, conversaram com os representantes dos 12 estádios da Copa do Mundo, dos CTS e COTs.

O diretor de Relações Institucionais do COL, Rogerio Caboclo, alertou para a necessidade de que o trabalho com gramados seja feito com o maior capricho possível. “Muita gente considera que um bom gramado é apenas um detalhe no projeto da  Copa do Mundo da FIFA, mas não é. Se o gramado for ruim nos estádios e nos CTS e COTs, o espetáculo estará irremediavelmente comprometido. Durante a Copa estarão no Brasil 32 seleções, torcedores de todas as partes do mundo e cerca de 18 mil jornalistas. A bola precisa rolar bem.”

Em sua apresentação, a consultora da Arena, Maristela Kuhn, explicou as técnicas para reforma e manejo dos campos de futebol e como este trabalho deve ser feito em gramados localizados em regiões com climas completamente  distintos. “No Brasil, temos condições climáticas muito diversas, tanto em junho quanto em julho. No que diz respeito à temperatura e a índices pluviométricos, isso nos leva a técnicas de manejo bastante diferenciadas. Há uma amplitude muito grande de variações”, disse.

Andy Cole, da STRI, falou sobre as principais características de um gramado de excelência. “Um ótimo gramado oferece alto nível de tração para os jogadores, permitindo deslocamento e vários movimentos dos atletas; possibilita passes perfeitos e faz com que a bola role de forma precisa e quique de maneira consistente. Além disso, tem aparência consistente, o que melhora a visualização, e é altamente resistente, uma vez que é muito exigido em treinamentos e jogos.”

Fonte: FIFA

Notícias Relacionadas

Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+