Sedes da Copa das Confederações recebem Centros de Comando Móveis até o fim da semana

30/05/2013 - 14:30
São três veículos para Belo Horizonte e Rio de Janeiro e dois para Brasília, Fortaleza, Recife e Salvador

Centros Integrados de Comando e Controle Móveis

Centros Integrados de Comando e Controle Móveis

As seis sedes da Copa das Confederações vão receber os Centros Integrados de Comando e Controle Móvel que irão compor as ações de segurança para o torneio até esta sexta-feira (31.05). Algumas capitais, como Brasília e Rio de Janeiro, já estão com as unidades do modelo 2. Será destinado um veículo deste tipo por sede. Os centros são equipados com sistemas de comunicação, câmeras, Tecnologia da Informação e podem abrigar até seis profissionais.

Os centros móveis possuem as mesmas funcionalidades dos centros fixos. No local, as equipes poderão trabalhar de forma integrada e fazer a gestão das operações. Na próxima semana, as sedes começarão a receber os centros do modelo 1, que são maiores, com lateral expansível e sala de gerenciamento de crise. Entre os dois modelos, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais terão três veículos, enquanto os demais estados sede do Mundial receberão duas unidades.

Os recursos necessários para a aquisição dos centros de comando móveis estão previstos no anexo de segurança da Matriz de Responsabilidades da Copa do Mundo. Cada unidade do modelo 2 custou aproximadamente R$ 3,5 milhões, segundo dados da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos.

Gabriel Fialho - Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+
Centro Integrado de Comando e Controle regional realizou 1,1 monitoramentos diários e acompanhou 300 atividades essenciais durante os 31 dias do Mundial na capital mineira
+
Profissionais federais e distritais trabalharão juntos em evento que terá 19 chefes de Estado
+
Governo do DF divulgou balanço de ações para a Copa do Mundo. Investimentos em segurança, turismo, mobilidade urbana e aeroporto ficam para a cidade
+