“Ser voluntário é unir esforços”, afirma especialista

31/01/2014 - 16:07
Silvia Naccache é coordenadora-geral do Centro de Voluntariado de São Paulo e tem mais de 15 anos de experiência na área

Em 2013, durante a Copa das Confederações da FIFA, os voluntários atuaram em seis sedes e mostraram dedicação e compromisso. O resultado foi ver milhares de visitantes e torcedores bem informados e dispostos a voltar à Copa do Mundo da FIFA, em 2014, beneficiando as cidades-sede e suas comunidades. “Todos ganham com o voluntariado. Desde quem recebe a ação diretamente até a sociedade, a comunidade. Ter no currículo a participação em ações de voluntariado é bastante valorizado”, afirma Silvia Naccache, coordenadora-geral do Centro de Voluntariado de São Paulo desde 2003. Ela atua há mais de 15 anos na área de responsabilidade social, Terceiro Setor e voluntariado. Nesta conversa, ela explica o que significa ser voluntário e quais são as responsabilidades e benefícios de quem participa da atividade. 

O que sua experiência mostra sobre o que é ser voluntário?

O trabalho voluntário é uma união de esforços de pessoas que enxergam a vida diferente e que se propõe a minimizar as dificuldades do outro, muitas vezes tão distantes de seu próprio entendimento e convívio. Todos juntos na construção de uma sociedade mais justa e solidária, de um mundo melhor para todos nós hoje e para as gerações futuras.

Atualmente, tanto no Brasil quanto no mundo, as ações voluntárias são entendidas como exercício da cidadania. São cidadãos preocupados com as necessidades de sua comunidade e que compreendem que é preciso haver a união entre governo, empresas e sociedade civil para a solução dos problemas sociais.

Quem pode ser voluntário?

Todos podem ser voluntários, mas existem algumas questões para refletir antes de se tornar um voluntário. O voluntariado é uma escolha pessoal, individual e é importante saber o que gostaria de fazer, o que tem de melhor para oferecer e o que acredita que faria diferença. Os valores têm que ser coerentes com os valores da organização escolhida. Cada voluntário deve pensar quais as habilidades ou talentos que tem de melhor e que deseja compartilhar, e também deve avaliar se pode cumprir o tempo de acordo com sua disponibilidade e com muito comprometimento, respeito e empatia.

Quais são as responsabilidades?

É responsabilidade do voluntário a escolha da área de atuação, do local da atividade e do público que deseja atender, como se pretende realizar ações individuais ou juntar-se a grupos comunitários, participar de grupo que dê apoio a alguma necessidade específica da comunidade, ou ainda identificar alguma necessidade e formar um grupo de voluntários para buscar uma solução.

Quais as qualidades básicas que uma pessoa deve ter?

O voluntário precisa ser comprometido, pontual e assíduo com a sua responsabilidade. Além disso, alegria, solidariedade, ética e dinamismo são essenciais. Quem se dispuser a doar o tempo deve escolher uma causa que toque seu coração, saber trabalhar em equipe de forma integrada e colaborativa e estar disponível para atividades de formação, capacitação e treinamento.

» Confira a íntegra da entrevista no portal Brasil Voluntário

Leonardo Dalla – Brasil Voluntário

Notícias Relacionadas

Capital do Mato Grosso contou com a atuação de 357 voluntários, em locais como aeroporto, rodoviária, Arena Cultural, entorno da Arena Pantanal, FIFA Fan Fest e Centro Aberto de Mídia
+
Voluntários do governo federal aprovam experiência no Mundial; objetivo agora é aproveitar a vivência adquirida em novos projetos e na busca por oportunidades no mercado de trabalho
+
Certificação digital estará disponível na plataforma de agendamento; voluntários do governo federal serão comunicados por email
+
Voluntários do governo federal falam sobre a oportunidade de atuar no auxílio a torcedores e visitantes e relatam as emoções vividas durante o Mundial
+