Uruguai e Itália disputam o terceiro lugar já sonhando com o retorno ao Brasil

30/06/2013 - 07:40
Equipes se enfrentam a partir das 13h deste domingo (30.06) em Salvador. Em jogo, mais confiança para a disputa das eliminatórias em busca de vaga na Copa de 2014

Nas semifinais, foi Europa contra Europa e América do Sul contra América do Sul. No último dia de competições da Copa das Confederações da FIFA 2013, europeus e sul-americanos se enfrentam em dois momentos. Antes da grande final entre Brasil e Espanha, às 19h no Rio de Janeiro, a Arena Fonte Nova sedia a disputa do terceiro lugar entre Uruguai e Itália, a partir das 13h. No palco de Salvador, está em jogo mais do que a conquista de um lugar no pódio da competição.

As duas equipes querem medir forças e ganhar ainda mais confiança para o grande objetivo deste ano: conquistar uma vaga na Copa do Mundo da FIFA 2014 para retornar ao Brasil no ano que vem.  A situação da Itália nas eliminatórias é mais tranquila, já que lidera o Grupo B europeu com 14 pontos, quatro à frente da segunda colocada, a Bulgária. Restam quatro jogos à Azzurra para garantir o primeiro lugar e se classificar sem passar pela repescagem.

Para chegar com força total nesses confrontos de setembro e outubro, algumas precauções foram tomadas desde agora. Por isso os baianos não poderão ver em campo a habilidade de Andrea Pirlo, cortado do jogo contra o Uruguai por precaução. Depois de uma lesão na panturrilha que o tirou da partida contra o Brasil, o volante se recuperou para a semifinal contra a Espanha no dia 27, mas não contava com o intenso desgaste físico de 120 minutos. E a lista de desfalques da Itália vai além do craque, um dos candidatos à Bola de Ouro do torneio.

O desafio de Prandelli

O técnico italiano Cesare Prandelli terá um complicado desafio para montar a equipe que enfrenta o Uruguai. Após a partida contra o Brasil na mesma Arena Fonte Nova, Prandelli perdeu o lateral-direito Abate por conta de uma luxação no ombro. Estrela do ataque, Mario Balotelli também voltou mais cedo para a Itália após lesionar a coxa.

A histórica e desgastante semifinal contra a Espanha ainda acarretou outras ausências em campo neste domingo: o zagueiro Barzagli e o meio-campista Marchisio. Prandelli também pode optar por deixar de fora o zagueiro Chiellini, o meio-campista De Rossi e o atacante Gilardino, devido à fadiga muscular.

Sendo assim, o time que vai a campo estará longe do ideal do técnico italiano, que pode ainda dar uma chance ao goleiro reserva Marchetti, deixando no banco o capitão Buffon.

Para os mais jovens, como o lateral esquerdo De Sciglio, partidas como essa contra o Uruguai são excelentes oportunidades de ganhar experiência, assim como ocorreu em todo o torneio.

“A competição me deu a possibilidade de enfrentar times de culturas diferentes, aumentou a bagagem pessoal. É emocionante jogar partidas deste nível”, disse o atleta de 20 anos.

Foto: Danilo Borges/Portal da Copa#A confiança de Tabárez

O cansaço italiano contrasta com a tranquilidade dos uruguaios. Como disputou a semifinal um dia antes e sem prorrogação, a Celeste está inteira para a disputa do terceiro lugar. Não só fisicamente, mas também em termos psicológicos. A partida contra o Brasil foi muito bem avaliada pelo técnico Óscar Tabárez. Para ele, a vitória escapou por pouco, assim como para a Itália.

“As duas equipes jogam o terceiro lugar porque não aproveitaram outros momentos. A história poderia ter sido outra e temos que parabenizar aqueles que chegaram à final. As duas que não chegaram poderiam tranquilamente estar ali, e esse é o grande atrativo do jogo do terceiro colocado”, disse o técnico.

Tabárez não quis confirmar a escalação, mas adiantou que será uma formação parecida com a que atuou contra o Brasil. O que também não varia é a vontade de ganhar e coroar um mês de junho considerado maravilhoso para os uruguaios.

Tudo começou com a vitória contra a Venezuela em 11 de junho, pelas eliminatórias sul-americanas. Caso perdesse, o Uruguai daria adeus à chance de estar no Brasil na Copa de 2014. Deu certo. Os ânimos melhoraram, a equipe chegou à Copa das Confederações mais forte e conseguiu se classificar para as semifinais.

“Em todos os momentos falávamos sobre como sair disso, sempre com muita confiança intra-grupal de que podíamos superar. Até que chegou o jogo contra a Venezuela, e  com essa satisfação de saber que poderíamos continuar lutando para voltar aqui em 2014, com esse ânimo viemos à Copa das Confederações. Aqui conseguimos muitas coisas: intensidade defensiva, cumprir os papéis desejados, um grande espírito de equipe”, disse "el maestro", como Tabárez é chamado por jornalistas e jogadores.

Foto: Danilo Borges/Portal da Copa#Grupo uruguaio está mais descansado para a final

Ganhar da Itália significaria ampliar a confiança para as “quatro finais” nos meses de setembro e outubro. São partidas cruciais para que o Uruguai consiga se classificar nas eliminatórias. Atualmente, a Celeste está em quinto lugar, sendo que quatro países se classificam diretamente e o quinto disputa a repescagem com uma seleção asiática.

“A prioridade nossa é o Mundial, a Copa das Confederações é um prêmio a que tivemos direito por sermos os campeões da América. Aproveitamos bastante o torneio, mas perdemos  a semifinal e vamos jogar o último jogo como fizemos até agora, fazendo de tudo para ganhar”, garantiu o zagueiro Diego Godín.

Foto: Portal da Copa/Maio de 2013#Jogo desta tarde é o terceiro e último na Fonte Nova durante a Copa das Confederações

Acesso à Fonte Nova

A partida está marcada para 13h e os portões serão abertos às 10h. Assim como ocorreu nos outros dois jogos, para quem for de carro, serão sete zonas de estacionamento, com preço único de R$ 20. Os torcedores com ingresso contarão com linhas especiais de ônibus gratuitos dos estacionamentos para a Arena Fonte Nova, tanto na ida quanto na volta. (Saiba também quais linhas convencionais chegam ao entorno da Fonte Nova).

Será proibido estacionar no entorno do estádio. Para o jogo deste domingo, a superintendência de trânsito de Salvador mudou a localização de sete dos 14 pontos de táxi distribuídos pelo entorno da Arena Fonte Nova, para aproximar o serviço das pessoas que irão ao estádio assistir ao último jogo da competição em Salvador.

Carol Delmazo – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estudo revela que a ocupação hoteleira na cidade bateu recordes, chegando a 72,26% no período do Mundial
+
Cidade hospedou campeões mundiais durante a Copa do Mundo e recebeu legados como Centro de Treinamento e promoção da imagem local
+
Tour 100% apresenta os bastidores do equipamento multiuso aos visitantes
+
O artilheiro do Mundial com seis gols ainda alcançou a terceira posição com o tento anotado contra o Japão, em enquete promovida pela FIFA
+