Vitória da França sobre a Suíça aumenta ainda mais a média de gols da Fonte Nova

20/06/2014 - 18:24
Liderados por Benzema e Valbuena, franceses fazem 5 x 2 sobre os suíços, famosos por defenderem muito bem

França e Suíça protagonizaram o jogo com o maior número de gols na Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 até agora. Os franceses marcaram cinco vezes e o suíços duas na partida disputada na Arena Fonte Nova nesta sexta-feira (20.06), em Salvador. Este foi o terceiro jogo do Mundial na cidade e a bola ultrapassou a linha do gol nada menos que 17 vezes na capital baiana. Antes, a Holanda já tinha vencido a Espanha, atual campeã mundial, por 5 x 1; e a Alemanha goleou Portugal por 4 x 0.

Os gols franceses em Salvador foram marcados por Giroud, Valbuena, Matuidi, Benzema e Sissoko. Os suíços diminuíram com Dzemaili e Xhaka.

O atacante Karim Benzema esteve ainda em outros dois lances que poderiam ter transformado o jogo em uma experiência ainda mais incrível para os 50.003 torcedores que assistiram à partida nas arquibancadas. Ainda no primeiro tempo, Benzema bateu um pênalti que foi defendido pelo goleiro suíço Diego Benaglio – no rebote, o francês Cabaye ainda acertou o travessão. O segundo lance aconteceu segundos depois de o árbitro holandês Bjorn Kuipers apitar o final do jogo: Benzema recebeu passe rasteiro da direita e concluiu de primeira, no ângulo de Benaglio. O gol não valeu, pois o jogo já havia terminado.

A França praticamente garantiu a sua classificação para a segunda fase, pois chegou a seis pontos e lidera o Grupo E, com um ótimo saldo de gols (oito gols marcados e dois sofridos). Os suíços, que venceram o primeiro jogo em Brasília por 2 x 1, permaneceram com três pontos e um saldo negativo de três gols. As outras duas seleções do grupo (Equador e Honduras) se enfrentam ainda nesta sexta, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Além da comemoração das torcidas e da eterna lembranca do bom futebol que ficará na memória de quem assistiu a essas partidas, o alto número de gols marcados também ajuda a aumentar a quantidade de mudas nativas da Mata Atlântica que serão plantadas pelo Projeto Gol Verde: a cada tento assinalado no estádio, a Secretaria Estadual para Assuntso da Copa na Bahia (Secopa-BA) plantará 1.111 mudas - o equivalente a um campo oficial de futebol. Até agora, são 18.887 novas árvores a serem plantadas na Bahia. Leia mais sobre o Projeto Gol Verde

Suíça x França - Arena Fonte Nova - Jogo

Suíça x França - Arena Fonte Nova - Jogo

Franceses ignoram favoritismo e suíços tentam esquecer goleada

Os 5 x 2 aplicados pela França sobre a Suíça levantaram a questão: mesmo sem o craque Ribéry, os franceses podem chegar ao título da Copa do Mundo? Para o técnico Didier Deschamps, ainda não chegou o momento de pensar nisso.

“Claro que estamos satisfeitos pelo resultado, mas temos que continuar. Fomos bem nos dois primeiros jogos, isso é ótimo, mas há outras equipes que estão mostrando um bom desempenho”, advertiu o treinador durante a coletiva de imprensa.

Depois de assistir seu time sofrer cinco gols em campo, o técnico da Suíça, Ottmar Hitzfeld ressaltou que sua equipe ainda depende de si para se classificar e que espera uma reação por parte do elenco. “Nós ganhamos juntos e perdemos juntos. Ainda temos grandes chances de classificação. Depende de nós. Vou analisar o jogo e conversar com os jogadores. Mas não devemos ficar nervosos ou impressionados pelo resultado”, pediu o comandante suíço.

Torcedores aprovam experiência

Com mais de 50 mil pessoas presentes na Arena Fonte Nova, torcedores relataram um dia tranquilo tanto para chegar ao estádio quanto para entrar e acompanhar o jogo. O casal brasileiro Leonardo e Mayra Barreto optaram pelo metrô para chegar à Fonte Nova e aprovaram.

“Pegamos o metrô no shopping Bela Vista e saltamos aqui no Campo da Pólvora. Estava vazio e de lá viemos andando, foi tudo normal. A fila para entrar no estádio não demorou e achamos rapidamente o local que deveríamos sentar. Foi tudo bem tranquilo”, elogiou Leonardo. A única dúvida deles foi sobre a entrada que deveriam utilizar, sanada pelos voluntários. “Nos avisaram e encontramos bem rápido. Foi excelente, a organização está de parabéns”, destacou Mayra.

Acompanhada de um torcedor francês, a carioca Juliana Muniz também relatou uma experiência tranquila para chegar ao estádio e acompanhar o duelo entre franceses e suíços. “Pegamos um táxi no hotel e o acesso até a entrada do Dique foi fácil. De lá viemos caminhando. O mais complicado foi a sinalização das entradas do estádio, que tivemos que contar com os voluntários. Quem não fala português deve encontrar mais dificuldade, mas para a gente foi bem rápido, os voluntários estavam por toda a parte”, contou Juliana.

Os dois já foram ao Maracanã durante a Copa e têm mais um jogo na capital fluminense, além de outro em Brasília. “A entrada no estádio não foi tão rápida quanto no Maracanã, mas foi bom. Não demoramos nem 20 minutos”, disse o francês Samuel Peronon, feliz com o resultado do jogo. “Foi uma surpresa, melhor do que o esperado”, opinou sorrindo.

Suíça x França - Arena Fonte Nova - Torcida

Suíça x França - Arena Fonte Nova - Torcida

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estudo revela que a ocupação hoteleira na cidade bateu recordes, chegando a 72,26% no período do Mundial
+
Tour 100% apresenta os bastidores do equipamento multiuso aos visitantes
+
Produto deve ser remodelado e seguir atendendo a turistas e baianos
+
Portões da estrutura abrem às 13h no sábado (12.07) e no domingo (13.07)
+