Voluntários auxiliam imprensa no Centro Aberto de Mídia do Rio de Janeiro

11/07/2014 - 19:12
Participação segue até segunda-feira (14.07) com auxílio a jornalistas brasileiros e estrangeiros no Forte de Copacabana

Foto: Leonardo Dalla#O voluntário Adão Galdino Neto atua no CAM, no Forte de CopacabanaA experiência de atuar como voluntário em grandes eventos como a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 pode trazer benefícios pessoais e profissionais. Para os voluntários do Centro Aberto de Mídia (CAM), no Forte de Copacabana, Rio de Janeiro, a atuação é vista como uma oportunidade para praticar idiomas, fazer novas amizades e conhecer jornalistas do Brasil e do mundo.

Adão Galdino Neto, 19, saiu de Uberlândia, Minas Gerais, para atuar como voluntário no Rio de Janeiro. “Deixei para vir para o Rio de Janeiro mais no fim da Copa e escolhi essa cidade porque tive boas experiências por aqui e queria retornar”, explica. A poucos dias do fim da competição, o voluntário destaca a ansiedade por atuar durante a final do Mundial. “Minha expectativa para os próximos dias é atender e ajudar qualquer pessoa, independente do país, da seleção. É fazer a diferença. Com tantos estrangeiros, principalmente argentinos, acho importante que possam contar com a nossa ajuda”, afirma.

Leandro Aleixo, 25, concorda com o colega de atuação. “Gosto muito de ajudar e participar como voluntário. Faço faculdade de Turismo e participar de um megaevento como a Copa do Mundo é muito importante”, diz. Para ele, o contato com o visitante estrangeiro é uma chance praticar outros idiomas. “Apesar de não estar na minha área, o fato de ajudar pessoas de fora e falar outro idioma é um diferencial que posso usar na minha carreira profissional”, diz.

Assim como Leandro, Adão acredita no diferencial no currículo que a experiência de atuar como voluntário em uma Copa do Mundo pode trazer. “Estou no terceiro semestre de administração e acho que ser voluntário na Copa vai ser um diferencial. Terei mais visibilidade e aumenta a chance de concorrer a uma vaga profissional”, conta.

O Centro Aberto de Mídia do Rio, em funcionamento desde 9 de junho,  segue aberto até segunda-feira (14.07), quando também será finalizada a atuação dos voluntários.  “Apesar de ainda não ter acabado a atuação, fica o sentimento de saudade e de amor ao próximo. Mas eu e um grupo de outros voluntários estamos nos preparando para as Olimpíadas também. É algo viciante. Começar é o primeiro passo para atuar sempre”, conclui Adão.

A atuação é elogiada pelos profissionais que freqüentam o local, brasileiros ou estrangeiros. “É essencial poder contar com voluntários não só no Centro Aberto de Mídia, mas também em outros espaços que estão espalhados pela cidade”, diz o jornalista italiano Trani Ugo, do Il Messaggero. “Tanto nós, brasileiros, como os jornalistas estrangeiros ficamos às vezes sem as informações que eles podem nos proporcionar”, completa o jornalista Francisco Gilberto da Silva, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Leonardo Dalla – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Capital do Mato Grosso contou com a atuação de 357 voluntários, em locais como aeroporto, rodoviária, Arena Cultural, entorno da Arena Pantanal, FIFA Fan Fest e Centro Aberto de Mídia
+
Voluntários do governo federal aprovam experiência no Mundial; objetivo agora é aproveitar a vivência adquirida em novos projetos e na busca por oportunidades no mercado de trabalho
+
Foram produzidas mais de 60 mil matérias sobre o Brasil veiculadas em todo o mundo. De acordo com pesquisa realizada pela Fipe, 96,5% dos jornalistas internacionais recomendariam uma viagem ao país
+
Certificação digital estará disponível na plataforma de agendamento; voluntários do governo federal serão comunicados por email
+