Voluntários fazem balanço positivo da atuação em Natal

24/06/2014 - 16:06
Ajuda, amizade, diversão e convívio com diferentes culturas estão entre os pontos altos apontados pelos integrantes do Brasil Voluntário

Foto: Paulo Victor Correia/Portal da Copa#Em Natal, o lema dos integrantes do programa Brasil Voluntário é se divertir e ajudar. Pouco antes de a bola rolar na Arena das Dunas, para o jogo entre Itália x Uruguai, nesta terça-feira (24.06), última partida do Mundial na cidade, um grupo de voluntários estava pronto para atender aos visitantes. Distribuindo mapas da cidade e passando informações em inglês, italiano e espanhol, Jean Carlos fala com alegria do que é ser voluntário na Copa do Mundo de 2014. “Está sendo um momento de muita interação com pessoas de outros países, de outras culturas. Podemos perceber o quanto as torcidas que vieram a Natal são animadas, cantam o tempo todo, e o principal, se confraternizam”, conta.

A atuação rendeu, segundo ele, histórias memoráveis. Jean Carlos cita um episódio, no primeiro jogo na Arena das Dunas, em 13 de junho, após a partida entre México e Camarões. “Teve um mexicano que se perdeu da família e não tinha nem ideia de para onde ir. O voluntário deixou a pessoa esperando num ponto seguro, foi buscar pela fisionomia e pelo nome, em espanhol, e conseguiu achar e reunir a família. Então essa pessoa chorou, disse que o voluntário era amigo para sempre. Isso é gratificante, não tem dinheiro que pague”, lembrou.

Para ele, amizades e recordações ficarão para o resto da sua vida. “Fica como legado a aprendizagem, em primeiro lugar. Posteriormente, a amizade que a gente teve e também a proximidade com outros países e culturas. A gente percebe que eles têm um prazer de estar no Brasil”, disse.

Recordações

Outro voluntário que estava próximo a Arena das Dunas, Gustavo Prexedes destacou os conhecimentos adquiridos no contato entre pessoas de outros países como o que mais ficará como recordação. Experiente com o voluntariado, ele está ajudando as pessoas na Copa do Mundo e já pensa mais a frente.

“É gratificante você chegar aqui e poder passar informações para quem está visitando nossa cidade, mostrando que o povo brasileiro é receptivo, amável e acolhedor. Isso é bom porque desmistifica aquela história de que a Copa não ia dar certo, que as pessoas estavam amedrontadas. O que vimos hoje, nesse jogo Uruguai x Itália, é que todos querem participar. Já estou me candidatando para as Olimpíadas de 2016”.

Descontração

O clima de descontração também foi apontado como ponto positivo entre os voluntários.  Feliz em auxiliar os torcedores, a coordenadora Marineide Silva fala com satisfação da experiência. “A gente se diverte mais do que tudo. É muito bom”, comenta. Segundo ela, os turistas estão gostando do calor do povo brasileiro. “A língua não está sendo problema porque temos tradutores bilíngues e de libras. Temos voluntários no aeroporto, rodoviária, em pontos de mobilidade, shoppings e supermercados”, explica.

Marineide também coleciona histórias interessantes de sua atuação. “Tivemos casos de voluntários que ganharam ingressos de visitantes porque os trataram bem, outros que ganharam bolsas de estudo por conta do movimento voluntário e um que ajudou um mexicano perdido em Natal. Ele estacionou o carro ao lado da universidade e não se lembrava onde estava. Então, o voluntário ficou lá até localizar o carro. Depois, esse senhor deu um depoimento na rede social agradecendo o apoio. Isso é muito importante, ainda mais vendo nossos voluntários fazendo a diferença”.

Paulo Victor Correia, do Portal da Copa em Natal

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Levantamento ouviu mil pessoas, no período de 12 a 25 de junho, e engloba visitantes estrangeiros e nacionais
+
Acesso ao agendamento continua normalmente; voluntários poderão consultar notícias no Portal da Copa
+
A capital pernambucana conta com 500 voluntários distribuídos em pontos de mobilidade e área externa da Arena Pernambuco
+