Voluntários preparados para receber torcedores na final da Copa no Rio de Janeiro

10/07/2014 - 17:34
Time de voluntários segue a postos para auxiliar visitantes que chegam à capital até domingo, 13, para a final entre Alemanha e Argentina; atuação já deixa saudades

O Rio de Janeiro é a cidade que mais receberá turistas durante a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Segundo estimativas do Ministério do Turismo, cerca de 540 mil pessoas passarão pela capital até a final do torneio. Ainda, de acordo com a Secretaria de Aviação Civil (SAC), pelo menos 10 milhões de passageiros passaram pelos principais aeroportos do país até a terceira semana da Copa. Somente ontem, 9, mais de 500 mil pessoas circularam pelos 12 aeroportos do Mundial.

Para garantir um bom atendimento, os voluntários seguem atuando nos aeroportos do Rio de Janeiro. A atuação que começou em junho, segue até o domingo, 13, quando a cidade receberá mais visitantes e torcedores para a partida final da competição. “Estamos bem preparados tanto para receber quem chegar a nossa cidade quanto para representar bem o Rio de Janeiro”, diz a aposentada Teresinha Francisca Oliveira, 70, que atua no Santos Dumont.

O Maracanã será sede da partida que consagrará o campeão da Copa no Brasil. Segundo expectativa do secretário de Turismo do município, Antonio Pedro Figueira de Mello, o Rio deve receber até 70 mil torcedores da Argentina para acompanhar a final do torneio, fora os brasileiros, alemães e outros torcedores de diferentes nacionalidades que permanecem no país

Bernardo Júnior, 23, atuou no Galeão e no Santos Dumont. Ele destaca como maior atrativo para o voluntariado a troca cultural com visitantes de outros países. “É muito estrangeiro chegando ao Rio. Quando me inscrevi queria atuar no entorno do estádio, mas aqui no aeroporto o intercâmbio cultural é muito maior. Você desenvolve muito a qualidade de voluntário ao receber pessoas de fora”, afirma.

Experiência

Foto: Leonardo Dalla#Bernardo e Jacqueline juntos na atuaçãoCom a aproximação do fim da Copa do Mundo, os voluntários dos aeroportos do Rio começam a sentir saudades da atuação. Para eles, o mais importante foi a experiência adquirida. “A experiência de ser voluntária é incrível. Eu tive mais contato com as pessoas e fiz novas amizades. Adorei e já estou me preparando para participar das Olimpíadas”, diz Teresinha  Francisco Oliveira, 70, que elogia a educação dos visitantes estrangeiros. “Aqui passaram muitos estrangeiros e eles foram muito atenciosos. Nos trataram bem e entenderam que estávamos aqui para ajudar. Sempre agradeciam com educação e um sorriso no rosto”, conta.

Bernardo comemora o fato de ter atuado. “Se não fosse voluntário, talvez eu não tivesse a oportunidade de fazer tudo o que eu fiz e encontrar quem encontrei. Eu desenvolvi um senso maior de ajuda às pessoas. Além da troca cultural, aprendi a diferenciar as necessidades de cada pessoa e cuidar de diferentes tipos de pessoas. Vou levar comigo um aprendizado único”, relata.

Já a voluntária Jacqueline Nunes, 43, ressalta a importância de ajudar a cidade-sede. “Atuar como voluntária nesta Copa foi incrível. Conheci diversas pessoas de diferentes países. Fiz novos amigos e vou levar isso comigo. Nós devemos ser companheiros e ser unidos. Acho que representei bem e ajudei a minha cidade ao direcionar quem chegava ao Rio para conhecer os pontos turísticos, por exemplo”, afirma.

A atuação dos voluntários nos aeroportos tem como foco auxiliar e orientar torcedores e visitantes, brasileiros e estrangeiros, que chegam e saem da capital. Entre suas funções, estão informar sobre o melhor meio de transporte, o desembarque, embarque, casas de câmbio e pontos turísticos.

Por: Leonardo Dalla – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+